Páginas

30/06/2010

Cor

Quando perguntam nos questionários do Brasil a minha cor, eu já acho confuso e cria uma "crise" de identidade, pois branca eu não sou, parda é uma invenção e me deixa na dúvida, que cor é parda? Da cor de papel pardo? Eu não sou dessa cor. Certeza é que não sou branca e que não sou negra, sou soteropolitana, na cidade em que 80% da população é negra...minha cor fica entre o branco e o negro, enfim.
E aqui nos EUA? Pela lógica, eu colocaria latina, certo? (também não é cor...) Acabo de ler aqui na internet que nos EUA, eles não consideram brasileiro latino (?????), pois é, na lista de raça tem: asiático, branco, negro, latino e outros. Mais uma vez, eu fico no meio, eu sou outros e tenho que escrever que sou brasileira. E isso lá é raça? Raça brasileira...risos..Aqui latino é quem fala espanhol como primeira língua, muito confuso...

28/06/2010

Um elefante incomoda muita gente...


Meu Deus...meu vizinho de cima é um elefante! Pior, ele não dorme de noite e fica zanzando de um lado para o outro. Vou importar rivotril para ver se ele me deixa dormir, afff! Olha minha situação: estou indo dormir umas 11pm, acordo 3:50 ou 4:50am devido ao despertador do marido e ainda passo parte da noite acordando com o elefante que mora em cima (a gente ouve cada passo do cidadão e de noite ouve a porta rangendo também, que maravilha para alguém que tem o sono levíssimo).
Deixa eu explicar: aqui nos EUA a parede é oca, não usa cimento nem tijolos, quem já viu na TV à cabo programas que reconstroem casas, sabe que na parede tem duas camadas de madeira, uma espécie de plástico para deixar a casa numa boa temperatura, tem um vácuo, a massa e a tinta. Vou ajudar, quem nunca viu nos filmes americanos as lutas entre o mocinho e o vilão que um joga o outro na parede e ela parte e tal (tipo no caseta e planeta). Isso nãoacontece porque eles são fortes (eu passei 26 anos achando que era isso), mas é que a parede é feita de "cuspe", quando a gente bate, "ouve o oco". Parece que é asssim devido aos tufões, furacões e os outros ões, pois fica mais fácil para o resgate e também mais chance de sobreviver (ai que medo!). Há outra hipótese: cimento e tijolo para um país desse tamanha ia gastar muito.
Voltando ao elefante de cima, gente, ele anda para cima e para baixo o tempo todo, não para, tenho a sensação de que ele vai despencar qualquer hora dessas, ele simplesmente não fica quieto. Para melhorar a situação, a ventilação dos apartamentos é ligada e esses dias eu estava na boa, tomando banho, cantarolando e do nado ouço uma voz, eu estava sozinha em casa, então chamei para ver se o marido já havia chegado, nada...era o vizinho, conversando no celular, no banheiro, com um dude, dizendo que não ia poder ir para algum lugar e tal (preciso treinar meu inglês, não entendo quase nada que os negros falam). Ah, no final de semana passado ele recebeu visitas de criança, aí sim que deixou de se ser um elefante e virou uns 30. Lembrei de minha irmã (Brenda) e no nervoso que ela deve ficar com todo esse barulho...risos.

27/06/2010

Mulheres americanas

Quando cheguei aqui nos EUA fiquei chocada com a forma que as mulheres se vestem. Quando estive aqui no começo do ano, era frio, então com casacões (normalmente pretos), botas, luvas e scarf, todo mundo fica bonito. Mas desta vez, tou passada! Primeiro, as pessoas saem de pijama, sim de pijama, sandália grandes (tipo a do irmão), blusa rasgada. juro! Fiquei chocada, com tantas marcas renomadas de roupas, de maquiagem e as mulheres desse jeito. Das duas uma: ou elas são muito seguras de si e vestem o que for mais feio, velho e horroroso mesmo pq sabem que são lindas (!) ou se acham o ó e não querem ter trabalho. As meninas novas 15,16 anos vestem shorts de corrida, bem curtinhos (inclusive mulheres mais velhas com filhos do lado com micro, micro short) e t-shits sem graças, cabelos presos e as vezes unhas pintadas. Choquei! Claro que tem uma ou outra com roupas bem bonitinhas, mas são minoria. (Leo disse que elas se vestem assim porque é prático, como levantam da cama já saem para levar os filhos na escola e passam no mercado...affff!Tenha paciência, ninguém precisa de salto alto para ficar arrumada, com cara de "eu me arrumo pois me amo")

Ah, mas as mulheres negras, de forma geral, colocam as brancas no chinelo no quesito arrumação: os cabelos são uma arte, as roupas super cult ( me amarrei numa menina de uns 10 anos com calça jeans, camisa branca com design diferente e uma sapatilha pink, sem falar no cabelo black, todo trabalhado, lindona!). As negras vestem roupas bem apertadinha, mesmo quando estão acima do peso (tá, isso fica meio estranho) e as vezes vestem blusa amarela, brinco amarelo, sapato amarelo, bolsa amarela :). E as gordinhas?


As gordinhas se vestem muito mal, com conjuntos que as vezes parece um scrub (aquelas roupas cirúrgicas), uma coisa bem feinha mesmo, ou até short curtinho mostrando todas as imperfeições. Mas na minha terra dizem que não existe mulher feia só existe mulher mal arrumada ou não arrumada, no caso das americanas. E diante desse quadro, eu pergunto: tem como a mulher brasileira não ser considerada a mais bonita do mundo? Tem não meus caros, tem não.
Ah, entrei na macy's(uma loja bem famosa daqui dos eua) e em uma loja tipo a macy's, mas um pouco mais cara, claro que tem coisa bonita, mas tem tanta estampa feia, muita coisa marrom (marrom é muito feio para colocar em roupa, uma cor triste), sem forma e Leo disse: é o gosto da americana (péssimo, diga-se de passagem)...Hum, só sei que quando estivemos no shopping as mulheres ficavam olhando para mim, eu de vestido, achei por um segundo, que o vestido estava preso e estava mostrando o que não deveria (lembrei da história de Nani, Sam), mas não, acho que era a combinação de roupa neutra com meu sapatinho da minnie. Estranho...

Praticidade americana

Ir ao mercado, quando chegamos era bem difícil, agora tem sido mais fácil encontrar as coisas. É engraçado que aqui eles arrumam as coisas do mercado de forma diferente que estamos acostumados, tipo o katchup não fica perto do macarrão? Não, aqui fica perto dos salgadinhos (gente, será que eles comem katchup com salgadinho?!) e o leite moça da nestlé fica na sessão latina, embora o da marca própria do walmart ficar em outra sessão. Eu ainda não peguei a lógica da arrumação das prateleiras, mas me falem se não é estranho a sessão de coisas para o banheiro (cortinas, toalhas, tapetes...) estar bem afastada de outros itens para o banheiro (porta sabonete, tapete para não escorregar na banheira- a banheira molhada vira um escorregador, ainda mais para pessoas com joelhos ruins). Acho muito complicada a arrumação aqui, mas uma coisa é boa: a parte de cosméticos é enorme no mercado, no daqui de perto são 4....tem muita coisa, é difícil até de escolher, tem coisa de marca conhecida e outras nem tanto. No quesito arrumação do mercado, não vejo nenhuma praticidade.

Uma coisa muito legal é que as caixas de sabão para máquina, o sal tem uma tampinha de um material diferente, não é papel, é tipo alumínio (eu não sei o que é), que você abre quando precisa usar. Gente que coisa mágica, evita desperdício e guarda tudo sem umidade, adorei isso, o Brasil deveria copiar.

Outra coisa prática é o triturador de alimentos que fica na segunda pia da cozinha, fantástico! Você está cozinhando e sempre sobra as cascas, pedaço de gordura e mil lixinhos orgânicos, aí você joga tudo lá (o orgânico), liga a torneira (aprendi que a torneira tem de estar ligada para não queimar) e tchau lixo. Vou pesquisar para saber em que lugar esse lixo vai parar, mas americano não é besta, deve virar dinheiro de alguma forma. O melhor: não é necessário aquela lixeira em cima da pia que tem em todas as casas do Brasil e que eu morro de nojo (não entendo a lógica de deixar a comida tão próxima da lixeira, argh!)

As casas têm máquina de lavar pratos, isso é que é invenção, porque ninguém merece lavar prato! Adoro! Quando os pratos estão gordurosos é só colocar para lavar na água quente, ficam ótimos.

A máquina de lavar roupa fica ao lado ou em cima da de secar, então você coloca para lavar, depois tira e coloca para secar. Para secar, pode colocar com ar quente ou normal, mas aprendam, tem tecido que com ar quente diminui e eu encolhi a camisa polo do marido, ficou nanica :). Uma pergunta: como fazemos para lavar os tênis se não existe local na casa para isso? Será que eles jogam fora? O bom é que as roupas saem da máquina quase prontas para usar, aqui eles usam sem passar, mas eu sou meio chata para isso. Ah, para não tomar choque quando for tirar a roupa da máquina de secar (quem não entendeu o motivo pulou as aulas de física), tem que colocar uma "folha" apropriada. Compramos a folha errada no mercado, ela já vem com sabão e com o produto para a máquina de secar, fale aí, muito prático.

O sucesso: os maridos ajudam nas tarefas de casa, não importa se as mulheres são housewives ou se trabalham fora, nas atividades domésticas todos ajudam, inclusive os filhos e aqui eu quero sublinhar os filhOs, homens (como dizemos na Bahia). Dividimos as tarefas: eu lavo a roupa (coloco nas máquinas), os pratos (coloco na máquina), arrumo a casa ( inclusive passo o vacun e "lavo"os carpetes a cada 15 dias), passo a roupa, ao marido resta jogar o lixo fora e cozinhar que ele faz numa boa (eu detesto essas 2 tarefa domésticas). Eu tenho mais trabalho porque fico mais em casa e fica justo, além disto andar no sol, com o lixo na mão....nem morta!

24/06/2010

Começou a residência...

Hoje foi o primeiro dia da residência do marido. Foi uma noite nervosa (quero deixar claro que o nervoso não foi meu), com muita expectativa e o dia começou cedo: 4:50 (da manhã!) o residente de Clínica passou para pegá-lo (e para quem perguntar se ele conseguiu se arrumar no horário, a resposta é SIM!). Achei muito legal da parte do residente sugerir a carona, muito atencioso e educado, cool hun?

Abaixo, Leo com o pager que não pode mais ficar desligado (espero que nas férias ele possa desligar), reparem atrás a mesa cheia de material da minha dissertação (sim, também estou trabalhando aqui).

Aqui o scrub e o jaleco que serão lavados no hospital: Ufa! O pager e o crachá.


Os residentes têm de ir de gravata SEMPRE e o melhor, a UAB sugere que eles usem gravata borboleta...hahahaha (o marido usa e usará a gravata normal). Nesse rodízio (5 semanas), Leo deverá chegar 6hs no hospital e sair de tarde, sendo que a cada 4 dias ele dá um plantão, um até 20hs e o outro ele só sai no outro dia meio-dia do hospital. Dureza!!!! Em teoria, ele terá um dia de folga por semana, mas eu estou achando improvável. São 2 anos bem puxados, mas são os anos que terão impacto na formação. O melhor, precisamos fazer poupança pois ainda tem umas provas e taxas para pagar, sendo que a mais cara custa $ 4.000,00 (dólares). Hai, ai. Por isso que o médico aqui ganha bem, depois de gastar um dinheirão para se formar, tem que pagar tudo.

Leo assinou o plano de saúde, e fez todo exame médico, tá tudo beleza nessa parte.

Tem uma coisa legal na UAB que se o residente quiser comprar livros na área o departamento paga, muito chique! O hospital dá comida, mas Leo disse que hoje foi pão e queijo no almoço e ele não comeu, almoçamos umas 17hs e antes das 20hs ele já estava na cama, dormindo :).


21/06/2010

I'm homesick!

Esses últimos dias estão bem complicados, ainda não conseguimos comprar o carro e deve demorar até isso acontecer. Perdi o curso de inglês (porque sem carro você não chega na esquina, literalmente, as ruas não têm nem passeio) e agora só em agosto, pena! Perdi també os encontros do grupo de esposas dos residentes...
Uma coisa boa que aconteceu é que agora estou valorizando muito as housewives, porque agora sei como é no mínimo insuportável ficar em casa, limpar a casa, cozinhar e esperar o marido. Que saudade da clínica, das crianças, do trabalho...eu odeio ser dona de casa, mas principalmente eu não gosto nada de cozinhar. Você perde um tempão na cozinha, depois tem que limpar tudo...muito chato! Mas o bom é que cozinhar é realmente muito fácil, muito fácil mesmo já fizemos feijão, arroz, macarrão de forno, picanha, frango de vários jeitos, panquecas, saladas, purê e o melhor é que o marido vai numa boa para cozinha, ele gosta das alquimias culinarísticas (será que é genético?). Anyway, vou tirar esse tempo para terminar minha dissertação e produzir 3 artigos ótimos.
Saudade das comidas de Rai, do salmão com pimentão vermelho e amarelo ao molho de maracujá que quando minha mãe fazia, eu não almoçava em casa (mas Leo batia ponto). Saudade de tudo arrumadinho, saudade do trabalho, da família, do cetha, dos amigos, do cheiro da praia (mãe, viu que eu disse que ia sentir falta disso?), dos engarrafamentos de amaralina (????), saudade de dirigir no trânsito louco de Salvador, de Josefina (palio preto) e de biscoito fino (palio vermelho), de ouvir "oxe". Saudade das "brigas"de Bri e Jo, do sorvete de morango da perini, saudade de olhar em volta e reconhecer tudo, de assistir jornal hoje na hora do almoço e devo admitir, saudade de galvão gritando Gooool!
Tentamos alugar o carro para curtir o último final de semana livre de Leo neste ano, mas não conseguimos em nenhuma loja, é brincadeira?! Ficamos em casa, fizemos brigadeiro e vimos o jogo (Leo dormiu no primeiro tempo).
Então, a residência começa quinta, todos os dias Leo deve estar ho hospital antes das 7:30 para sair no finzinho da tarde, mas a cada 4 dias ele fica no hospital para o plantão...tadinho! São 7 dias na semana. No natal ele estará trabalhando, mas no ano novo terá uma semana de folga, estamos pensando em passar a data em NY, na times square, alguém se habilita a juntar-se a nós?
Hoje eu tou homesick mesmo...

17/06/2010

Devolução de produtos

Uma coisa muitíssimo interessante aqui nos EUA é que você pode devolver sua compra, mesmo depois de ter aberto o pacote e de ter usado, você só precisa levar o objeto com a embalagem e a nota para a loja em 30 dias. Se pagou em dinheiro eles devolvem, se pagou no cartão o valor é devolvido também. E essa regra serve para tudo, até para carro, podem acreditar? Teve um dia que compramos argolas para a cortina do banheiro em uma loja, depois fomos em outra e achamos outras argolas melhores e mais baratas, então compramos essa e devolvemos a outra, simples assim, ninguém pergunta nada. Muito desses produtos usados e devolvidos são vendidos com desconto. Gente, eu adorei muito isso, porque depois de um dia de compras, você chega em casa, e pode experimentar as roupas direito, se não gostar, devolve ou caso tenha uma promoção melhor do produto que você comprou, você devolve e compra o outro. Massa hein?

Cidade verdinha

Bom, vou falar um pouquinho sobre a cidade. O nome do blog é magic city, pois B'ham (é assim que eles escrevem Birmingham no dia a dia e é para falar "Birminrren) é conhecida assim pelo crescimento que teve nas duas últimas décadas. Ainda assim é uma cidade considerada pequena, com boa luminosidade durante todo ano, não fica cinza no inverno(importantíssimo!), boa qualidade de vida, baixo custo de vida. Está entre as 10 melhores cidades para morar nos EUA. É um interior, as pessoas gostam de música country e são bem simpáticas e falam com sotaque engraçado (agora reparei o que minha irmã que mora na califórnia falou...). O que observei assim que cheguei foi o verde, é tudo verdinho, as estradas, as casas (olhem as fotos abaixo). Estamos no finzinho da primavera e acordamos com os passarinhos cantando (uns cantos bem estranhos e escandalosos, devo dizer), cheiro de grama, das flores. Minha mama iria adorar isso aqui. Mas sei que no inverno a paisagem fica mais seca, só os pinheiros ficam verdinhos.











Mas a verdade é que não moramos em B'ham, moramos em Homewood, que é uma mini cidadezinha (pensem o tamanho, mini e zinha...), fica uns 5min de B'ham, ou melhor da UAB (universidade do alabama de B'ham) e uns 10 min de Hoover (outra cidade). Aqui eles não se organizam por bairro e sim por rua , mas é como se Homewood fosse o Costa Azul e B'ham Amaralina e Hoover fosse o Imbuí, bem pertinho porque não tem engarrafamento! Homewood fica num lugar estratégico, perto da universidade que eu vou ficar e da de Leo também.
Aqui por perto está tendo umas tempestades e alguns tornados (Leo fica de olho na previsão, eu estou tranquila, já sei o que devo fazer se algo acontecer). Esses dias teve uma chuva forte de granizo mais ao norte daqui. O que é legal é que a Tv fica avisando sobre o tempo, pede para as pessoas se protegerem e tal. Aqui teve uma chuvona com muito raio e é diferente de Salvador, porque estava bem quente e depois da chuva ficou bem fresquinho (Em Salvador, na primavera/verão depois da chuva fica até mais quente). Nos últimos dias tem chovido um pouquinho, mas os relâmpagos e trovões castigam independente da chuva.


16/06/2010

Saidinha.


Uma vez que Leo não conseguiu tirar o seguro social (essa novela eu conto depois), tivemos que alugar um carro para fazer algumas coisas. Desta vez, o carro foi um Kia Rio, horrível de dirigir e fedido a cigarro. Ontem fizemos mercado e hoje, depois que Leo voltou da prova, resolvemos sair para fazer algo. Olhamos na internet e não achamos muita coisa, então resolvemos ir ao cinema (coisa que a gente não faz desde outubro...). Antes passamos num shopping-zinho, tá tudo em promoção, mas é promoção de verdade, para as consumistas, um paraíso. Pertinho do shopping (perto de carro, andando é longe e muito quente), tem outras lojinhas e um cinema com várias salas. Adivinhe qual filme assistimos? Quem conhece Leo sabe que ele não iria deixar de ver Karatê Kid, então fomos felizes. A sala do cinema é parecida com as do Brasil, as cadeiras são um pouco mais confortáveis e as salas não têm cheiro de mofo, ótimo! O filme é estilo sessão da tarde, no começo (o menino muda para a china com a mãe) me senti parecida com o personagem, perdida e sem gostar muito do novo lar (ainda estou nessa estapa:( ). O melhor: Leo sabia as falas dos personagens e no final do filme pediu para eu não falar mais porque ele estava tenso (eu disse: não se preocupe ele vai ganhar a luta...risos). O filme é igual ao outro, mas acontece na china e o pessoal luta kung fu (então o nome não deveria ser kung fu kid?!). Adorei a saída!Depois passamos no Kmart, um mercado tipo o hiper bompreço que vende de tudo, mas as coisas são melhores que o Walmart. Passamos também numa lojinha que vende tudo por $1 (Jai e D. Maria iam se fartar na lojinha) e em um mercado que vende frutas frescas (e caras, diga-se de passagem). E ganhei meu presente do dia dos namorados: 3 esmaltinhos americanos lindos de viver!!! Como aqui ainda é primavera, o pessoal tá usando as cores bem abertas, eu ganhei esse manga da revlon que eu estava querendo e depois achamos os outros 2 por $1, repito, dois esmaltes por $1. Ai, ai, tou no paraíso!







15/06/2010

Jogo do Brasil


Que jogo horroroso foi esse? Pelo menos ganhamos, mas eu tava tão empolgada para ver mil gols. Ver o jogo aqui é bizarro, porque as câmeras não estão bem posicionadas, os locutores não gritam gol (no primeiro gol, não mostrou a bola na rede nem teve o grito de gol, mostrou o jogador comemorando e depois passou o replay!!! Weird) e outra, os locutores claramente querem que o Brasil não jogue bem, ou eles também esperavam um jogão e assistiram um baba feião...vamos torcer para o time melhorar. Agora vou colocar a minha camisa do Brasil e fazer mercado :).

14/06/2010

Spring water X purified water




Aqui nos Eua, as pessoas podem beber a água da torneira (tá, no Brasil também, afinal, tirando o bom senso, nada impede que alguém beba a água da torneira...argh!), mas preferem comprar no mercado. Há dois tipos de água (pode ser que tenha mais, but so far, eu só vi essas duas) a spring water é a água direto da natureza, limpinha, porque spring significa primavera, e o que acontece é que depois da neve do inverno, a água que descongela na primavera é engarrafada. Tudo muito limpinho e gostoso (água gostosa = sem sabor, sem cheiro e sem cor). Já a purified é água tratada, dependendo da marca é boa, pois as vezes tem gosto dos filtros que a gente usa no Brasil. Outra coisa, aqui nos EUA, eles compram garrafinhas de água, uma caixa com 24 ou mais, pois é mais prático, vc pega a sua garrafinha e vai fazer o que tem que fazer. Nós estamos tomando a purified water da nestlé (tão bom achar marcas que conhecemos!!!) e tem sido boa, mas a água da best value (marca do walmart) é muito ruim, tem gosto dos filtros com carvão que tem no Brasil.


Na onda ecológica, as garrafinhas estão vindo com menos 20% plástico e claro que compramos o máximo possível de coisas que sejam eco, afinal quero deixar um planeta Terra para as próximas gerações. Inclusive comprei aquelas sacolas para levar ao mercado e não usar os sacos plásticos.

12/06/2010

Saudades...

Dizem que os 2 primeiros meses são os mais complicados pela adaptação e pela saudade. Oh man! Hoje eu estou morrendo de saudades de tudo que ficou no Brasil principalmente da minha mama, das conversas no sofá de tardinha e de banana da terra com leite morno e tapioca...hai, ai...

Tamanho das coisas

Tudo nesse país é absurdamente grande (ou no Brasil é que as coisas são absurdamente pequenas?). Anyway, o refrigerante pequeno aqui é o nosso grande, por isso a máxima "se não matar engorda" encaixa perfeitamente para os americanos: eles estão bem acima do peso, de forma geral. Outra coisa, aqui no Mc Donald tem o dollar menu: alguns sanduíches e outras coisitas por apenas $1, então a galera come mesmo e como a água é de graça, fazem a massa hamburguer + água...um horror. O interessante é que na hora do almoço na Mc, você encontra velhinhas, ricos, trabalhadores, estudantes...faz parte da cultura americano. Argh!

Abaixo mostro o tamanho do iogurte, se vc compra vários pequenos fica muito caro, então você compra o grande, come mais e fica gordo (reparem que compramos o light)....é uma matemática danada essa daqui.

Essa foto daqui é a mais legal, lá atrás tem o papel guardanapo que é muito maior e com mais papel que no Brasil, no cantinho tem a "caixinha" de cotonete, essa foi a menor caixa de cotonete, acho que ficaremos sem comprá-los por muito tempo. O creme pequeno da Dove, eu trouxe do Brasil e coloquei para comprar com o daqui, com o pinho sol e o super pote de nescafé.
Espero que as coisas não estraguem antes da gente consumir ou teremos que aumentar a família rápido :).

10/06/2010

Casa nova

Essa primeira semana de EUA foi bem corrida, estávamos arrumando a casa, pois semana que vem iremos cuidar da papelada e Leo começa os cursos da residência. Primeiro, essa aí foi nossa cama...muito pequena e desconfortável, depois compramos umas colchas e dormimos e hoje a cama chegou!
Aqui nos EUA o frete é caríssimo, então a gente comprava as peças, colocava no carro e montava aqui. Foi muito cansativo carregar tanto peso no calor danado. Abaixo Leo estava montando a mesa


Uma das mil viagens que fizemos ao Bom preço, as moças do caixa e da recepção já conhecem a gente...





E finalmente, um videozinho para mostrar como a casa ficou.



video

09/06/2010

Abastecer o carro.

Aqui nos EUA cada um coloca sua própria gasolina. Você pode passar o cartão de crédito e colocar o valor que vc quer gastar, aí a bomba libera, vc coloca a mangueira no lugar certo, aperta o botão e pronto. Ou você entra na lojinha do posto, paga em dinheiro e diz em que bomba seu carro está para o vendedor liberar a gasolina. A gente bateu a cabeça para conseguir, pedimos ajuda para uma americana e acho que o cartão passou algumas vezes, mas agora estamos craques.

Pausa para banana.

No lanche de ontem comi banana bem madura (estava muito cheirosa), com leite nido e nesquik. Fiz do jeito que minha mãe fazia quando eu era a small kid...delícia! Saudade de casa...

American way of life

Quando decidi fazer esse blog, a idéia era deixar a família e amigos atualizados sobre os acontecimentos daqui e também colocar algumas dicas, diferenças entre os eua e o Brasil. Sim, porque quando soube que iria mudar, busquei na internet algumas informações, e achei várias nos blogs cadastrados no www.mundopequeno.com, mas ainda fiquei cheia de dúvida. Então, eventualmente postarei sobre diferenças culturais, para começar:

1. Gente, aqui as pessoas soltam pum e arrotam (aquele arrotão barulhento) na frente de qualquer pessoa e depois pedem desculpa e tá tudo certo. Pegamos um táxi e o motorista estava escovando os dentes, como se fosse algo normal escovar os dentes na frente dos passageiros, ah, o mais importante, não achamos o táxi no meio da rua, ligamos para pedir um! O moço da van deu um arrotão na minha frente também e falou sorry. O mais engraçado é que estávamos numa loja e o vendedor pediu licença e saiu de perto para espirrar. Segundo o marido: "bufar e arrotar pode, mas espirrar não!"

2. Aqui eles são extremamente educados falam sempre sorry, excuse me e thanks. Eu estava com isso tão registrados que no aeroporto uma moça pediu que eu tirasse uma foto para ela e eu falei thanks, ela riu e disse que ela é que teria que falar thanks..ai,ai. Aqui eles tabém falam o how are you doing? (lembrei de Joe de friends) e é como se fosse um oi, não é necessário responder porque eles, na verdade, não querem saber.

08/06/2010

"Começou meu primeiro probleminha"

Estávamos na cozinha em um mergulho "culinarístico" empolgante, até que reparei uma água no chão que vinha atrás da geladeira. A geladeira daqui é muito grandona e pesada e é coberta com um tipo de plástico, não é feio, acho que é para não dar choque, enfim, afastamos a geladeira e começou um barulho shhhhhhhhhhhhh....gente, ficamos apavorados, achei que fosse um gás saindo, juro que até tonta fiquei...hahahaha..."pitizei!!!". Na verdade era o cano de água, pois essa geladeira faz gelo e tem uma ligação com o cano de água. Esse cano é bem fininho e partiu. O marido achou o furo e prendeu com fita, diminui o derramamento de água, mas não parou. Graças a Deus, moramos num apartamento e um moço da manuntenção chegou em 5 minutinhos e consertou tudo em menos de 1 minuto, ele disse que isso ocorre com frequência. Tivemos que limpar tudo, sim porque na cozinha não tem ralo, então era o pano de chão e o balde...o nosso super jantar ficou para outro dia e comemos um jantarzinho na mesa nova.


Carro.

Hoje cedo fomos na universidade resolver questões relacionadas ao seguro social (número esse cial para fazer tudo nos Eua) e descobrimos que só em 10 dias podemos resolver isso. Aqui em Birmingham não há transporte público, até tem uns ônibus, mas eles ligam nada até lugar algum da cidade. Então pegamos um táxi. Fomos ligar a luz do apartamento e percebemos que táxi é meio caro, então resolvemos alugar um carrinho. Antes disso, depois que saimos da companhia de luz, estávamos num bairro meio perigoso, não passava táxi, ainda estávamos sem celular e era meio deserto. Andamos um pouco para ver se achávamos um táxi, mas nada, só tinha umas concessionárias...eu tive a brilhante idéia (o jeitinho brasileiro) de entrarmos numa dessas lojas de carro e falarmos do nosso interesse em comprar algum, perguntar sobre a documentação e depois pedir para liguerem para o táxi. Entramos numa ford e Leo tratou de conversar com a vendedora, pedimos informações importantes, pois realmente queremos um carro, mas não da ford...enfim, no final das contas, a vendedora nos trouxe de volta para casa...muito gentil, hun?

A foto abaixo é em frente ao prédio de assuntos internacionais, tudo verdinho.

Esse foi o carrinho que alugamos (Cobalt ou Kobalski, para os íntimos) e compramos um gps, porque é inviável dirigir sem um desses aqui. Tem muitas saídas, é confuso e apesar de ser tudo mais organizado, como é diferente do caos soterapolitano, a gente ficou meio perdido, mas foi tudo bem, nos perdemos pouco :). O carro é automático e por isso, mais fácil, mas quando o cérebro está acostumado com a embrenhagem e a marcha, o pé e a mão teimam em ficar no lugar errado.
Essa é a "vista" da saída de casa...tudo verdinho, ar puro danado!

E o melhor, aqui meu nome não é estranho, diferente(trauma de uma vida! :)), é bem comum, até é nome de road...para tirar essa foto foi complicado, pois quando abaixei para pegar a máquina, desliguei o gps e ficamos perdido sem saber qual direção tomar...reparem que são várias sinaleiras e várias possibilidades de direção...se eu já me perdia na Pituba, imagine aqui...Santo GPS!!!!


Bom, estamos olhando os carros, vendo se é melhor comprar um novo ou usado, estudando as possibilidades de pagamento. Ah, mas para isso, teremos que tirar a carteira de motorista americana, tem teste prático e escrito, precisamos disso para conseguir o seguro. Muita coisa!!!



Apartamento novo!!!!

Pegamos as chaves do apartamento



(olha a unha chique: charminho lilás da risqué!)

E entramos com o pé direito para dar tudo certinho nessa viagem...



Essa é a fachada do nosso prédio, bem diferente do que temos no Brasil, na verdade são vários como esse juntos, tem uma quadra, piscina e sala de ginástica que imagino que não vamos usar...



A casa está vazia, fora a cozinha que já veio prontinha, o resto tá vazio...precismos comprar tudo outra vez.











Tchau Salvador, até breve!



Depois da documentação para o visto chegar em cima da hora, o consulado de Recife não enviar meu passaporte, de problemas na compra das passagens e outras coisitas mais, finalmente vendemos os móveis e arrumamos as malas! Antes da viagem, resolvi subir a Sagrada Colina para tirar a "uruca" das últimas semanas e viajar protegida. Entrei na fila para ser benta e tudo. Nunca tinha feito isso, mas foi legal!





Aqui estamos com nossa pouca bagagem nos últimos minutos em Salvador, tive que deixar muita coisa para trás. Essa bagagem fez com que os funcionários dos aeroportos americanos perguntassem se éramos brasileiro, porque brasileiro já é conhecido pelo tamanho da bagagem. Fora que tivemos que jogar 2 malas no lixo pois chegram no bagaço.






A viagem foi cheia de conexões e bem cansativa: voamos de Gol para Recife, depois fomos para Miami (deu para ver o petróleo derramado no mar...pena!). dormimos lá e no outro dia pegamos um avião para Dallas e depois finalmente chegamps em Birmingham. Ou seja, uma volta danada até nosso destino, sem contar o chá de cadeira no aeroporto. Preciso falar que o aeroporto de Miami é bastante caótico e com funcionários não muito gentis. O bom da espera foi observar as latinas, principalmente as negras, com suas unhas únicas e cabelos diferenciados, fiquei imaginando o tempo que elas gastam para ficarem daquele jeito. Emfim, chegamos no hotel e cama!