Páginas

07/02/2011

Como fazer residência médica nos EUA


Eu e Leo começamos a pensar/planejar nossa mudança para os EUA m 2006 e só em 2010 a mudança realmente aconteceu (claro, ele precisava se formar em medicina para depois começar a residência). Para poder concorrer, o médico (ou estudante de medicina, porque você já pode fazer as provas antes de finalizar a faculdade) terá de fazer algumas provas, os steps, e tirar notas boas para se tornar competitivo para concorrer de igual para igual.

O step 1 está mais relacionado a bioquímica,anatomia, fisiologia ou seja, começo do curso e esse Leo penou mais para relembrar. A primeira parte do step 2 é mais tranquila, é a parte clínica, medicina mesmo (se é que eu posso falar asssim), a segunda parte do step 2 é uma prova prática, o candidato atende 15 pacientes (na verdade são atores) e tem de escrever no prontuário, apontar o diagnóstico, enfim. Há também o step 3 (que Leo ainda não fez, já compramos o livro e ele tem até o meio do ano para fazer a prova), que são rotinas médicas. O legal de deixar essa prova para fazer esse ano é que Leo já sabe muitas rotinas na prática, mas ter esse step concluído conta ponta para entrar na residência também.

Esses testes servem como uma validação do diploma. Todo médico que conheço no Brasil disse que era super difícil passar na residência aqui, mas eu estudei com Leo e não achei nenhum bicho de sete cabeças. Claro, tem que estudar bastante, mas acho o vestibular bem mais difícil. Leo esolheu o material da Kaplan para estudar para o step 1 e o UMSLE World para os steps 2 e 3. Ele comprou os livros, banco de questões digitais e treinou muita coisa. Essa preparação de entender como é a prova foi fundamental, afinal essas provas levam 8hs, em um dia, de vez, e o candidato deve aprender o máximo de macetes sobre elas, pois segundo Leo, depois de 5hs, você já está tão cansado que fica difícil até de entender as questões.

O que eu achei complicado foi a parte burocrática, a UFBA perdia a documentação, não enviava e isso sim foi uma dor de cabeça e agonia. Fora isso, é fundamental que o candidato passe antes uma temporada aqui nos EUA, com professores daqui, pois ele vai precisar de cartas de recomendação e as cartas de professores do Brasil não têm muita validade por aqui. Leo veio em 2008- quando era  estudante, a UFBA abriu um programa com universidades americanas e ele foi selecionado- passou um semestre na LSU, fez pesquisa e conseguiu as cartas de recomendação de professores na área de neurologia (outro fator importante é que as cartas de recomendações sejam de professores da sua área de escolha).

Depois, com a tradução dos documentos, com a nota das provas, com as cartas de recomendação, ele aplicou para algumas universidades, foi chamado para 3 entrevistas (ele aplicou para 20 lugares, o que é considerado um número muito baixo por aqui). Leo passou 1 mês aqui indo para as entrevistas nas 3 universidades. Uma professora sugeriu que uma segunda visita seria muito bom pra quem é estrangeiro, pois mostra interesse e ele voltou (agora comigo) para essa segunda visita. Depois, o candidato tem de ranquear (essa palavra não existe né?) as universidades e as universidades também fazem o mesmo com os candidatos. Esses dados são cruzados e em março sai o resultado. Leo conseguiu a vaga no lugar favorito dele.

Tem muita burocracia envolvida, muitas taxas, provas, vistos diferentes (um pra fazer a prova o outro quando você passa), passagens, transporte, hotel. Além disto, quando você muda, precisa ter o dinheiro do primeiro mês, fora que se morar em cidade pequena, tem de comprar carro. Nossos gastos giraram em torno de R$ 45.000,00, isso mesmo, e o melhor é saber que cada centavo desse montante foi fruto do nosso suor. Claro que esse valor varia, depende do tamanho da família e de como o processo corra. No caso de Leo, ele teve que pagar algumas coisas duas ou três vezes, pois faltava uma assinatura da UFBA e isso foi encarecendo um pouco mais.


Foi uma jornada bem estressante principalmente porque os documentos demoravam para chegar, chegavam com 1 ou 2 dias antes do prazo final. A gente só conseguiu tirar o visto duas semanas antes da viagem, e o meu passaporte ficou perdido pelo consulado de Recife só chegou 2 ou 3 dias antes da viagem. Desespero total!!!! Agora cá estamos tentando sobreviver a esse primeiro ano de residência...


Quer saber mais sobre como ser médico aqui nos EUA? Acesse mediconoseua.com 

Imagem: google

UPDATE: Mais informações sobre a residência médica no site ECFMG  e para saber se a sua universidade/faculdade está cadastrada no sistema americano e portanto se você poderá aplicar para residência médica nos EUA clica aqui.

UPDATE2: NÃO é necessário fazer o TOEFL para a residência médica aqui nos EUA nem nenhum outro tipo de prova para comprovar a proeficiência na língua. A parte prática do step 2 serve como forma deles testaram o inglês do candidato, bem como as entrevistas.

UPDATE3: Para conseguir fazer estágio aqui pode ser através da sua universidade (muitas universidades têm parceria com universidades estrangeiras, principalmente as Federais , além disso, podem oferecer bolsas e programas específicos), através de um professor (muitos professores conhecem professores daqui e eles fazem um acordo para receber o estudante ou médico como forma de estágio) e por sua conta. Você pode procurar nos sites http://www.usmletomd.com/tips4match/2007/09/hospitals-offering-clinical-electives.html, 
http://www.mededu.miami.edu/visitingstudents ou ainda colocar no google "externship" e o nome das universidades para ter mais informações ou "international medical students electives"

UPDATE4: Há uma comunidade no orkut que ajudou muito meu marido no processo até chegar a residência:  a USMLE- residencia EUA BRSugiro que você passe lá. Tem muita coisa, muita informação e é um bom começo.

UPDATE5: escrevi mais um pouquinho sobre o assunto aqui
UPDATE6: O Lucas Eduardo, leitor aqui do blog, encontrou uma página ótima com dicas http://usmlematch.com sobre o processo.  



Ps: Pessoal, pode mandar perguntas e emails que respondo numa boa. Peço que antes, leiam os comentários dos posts sobre o tema, pois ando recebendo perguntas que já estão no blog. Eu escrevi mais alguns posts sobre residência médica nos EUA, procura nos marcadores ao lado. Se continuar com dúvida, pode entrar em contato.
 


224 comentários:

  1. Parabens a vocês, que vocês tenham força e consigam o objetivo final, eu também tenho o sonho de fazer residência nos EUA, estou concluindo o curso, posso ter algum contato de vocês para que eu possa tirar algumas dúvidas, para que vocês me ajudem neste processo.

    Desde já muito grato.

    hugoa062@gmail.com

    att, HUGO

    ResponderExcluir
  2. Hugo, mandei um email para você, qualquer coisa, entra em contato.

    ResponderExcluir
  3. Seu email está voltando, o meu é lornabg@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. Olá! eu andei com essa idéia louca de fazer residência nos EUA na cabeça... mas é muito trabalho!! Tanto com as provas, quanto com a papelada... sem falar nos gastos! E aí me pergunto se vale a pena fazer residência lá nos EUA ou se é melhor fazer a residência aqui e depois ir pra lá, fazer a complementação.... você sabe alguma coisa desse outro caminho? Qual seria o menos complicado?! espero poder trocar informações com vcs! meu e-mail: lockspb@hotmail.com
    abraços!

    ResponderExcluir
  5. olá poderia me enviar um e-mail (fernanda_portelli@msn.com) p contar como está sendo a sua experiência por aí? como faço p adiquirir o material para estudar? ele tá fazendo residencia em qual área?eu gosterai defazer p cirurgia?aguardo contato e parabéns pela conquista

    ResponderExcluir
  6. Ola Lorna, tudo bom?!
    Entao... eu tb sou de Salvador e estou terminando o curso de medicina esse ano. Pretendo morar nos EUA quando terminar minha residencia (pretendo fazer por aqui msm). Voce sabe dizer, o que temos que fazer p trabalhar como medico nos EUA?

    ResponderExcluir
  7. Paula, para ser médico aqui nos Eua tem de se formar aqui ou fazer a residência aqui. Com a formação brasileira você pode trabalhar como pesquisadora, mas não como médica.

    ResponderExcluir
  8. Lorna,
    Sou estudante de medicina e estou querendo fazer a residencia ai nos EUA tb, Como faço para adquirir os materias para fazer os steps? Estou terminando o primeiro semestre ainda, mas gostaria mt de me preparar logo para não deixar tudo pro final do curso. Será que vc poderia me ajudar? Muito grata e boa sorte pra vcs!!! bjos

    ResponderExcluir
  9. No amazon.com você pode encontrar os livros dos steps. No post eu falei sobre as 2 editoras que meu marido usou o livro. O que meu marido fez foi pesquisar pela internet para saber qual o melhor livro. Ah, acho que existe a possibilidade de baixar algum material pela internet também e no orkut tem uma comunidade sobre o assunto que pode lhe ser útil.

    ResponderExcluir
  10. Ola. Meu nome eh Raoni e jah sou medico aki no Brasil e tbm jah praticamente terminei meu processo de homologacao na Europa. Mas meus colegas q estao la me disseram que a crise na Europa jah afetou tambem a area medica. Tenho muito interesse em trabalhar como medico nos EUA. Iniciei o curso do Kaplan em Sao Paulo mas tenho mtas duvidas sobre o processo. Seria possivel entrar em contato com vcs para obter mais informacoes.Agradeco pela atencao.

    ResponderExcluir
  11. Olá, estou no quarto ano de medicina na UFU, em Uberlandia MG, morro de vontade de fazer residencia nos EUA principalmente pela área que quero atuar: medicina do esporte! Gostaria de pedir a ajuda de voces, pois algumas coisas não estou encontrando na internet, o step 1 tem que fazer a prova nos EUA também? Como agenda isso?
    Meu e-mail: aninhanaves@yahoo.com.br
    Grata,
    Anarosa

    ResponderExcluir
  12. Ola!Achei muito legal seu blog..Sou medica no Brasil e gostaria de saber como faço para me inscrever como pesquisadora em alguma universidade nos EUA, a minha preferência é Miami..Pretendo ficar uns 6 meses, assim como seu marido fez, para depois tentar residência medica em neurologia.Meu e-mail é jumeducb@hotmail.com
    Muito obrigada pelas informações.
    Juliana Sousa

    ResponderExcluir
  13. Juliana, meu marido fez intercâmbio enquanto ainda era estudante no Brasil, então o processo foi feito pela universidade mesmo. Não faço a menor idéia como você faz para encontrar vaga para pesquisador. Conheço um médico que faz residência aqui que passou 6 meses num hospital porque o seu orientador do doutorado conhecia um médico em um serviço daqui.

    ResponderExcluir
  14. oi lorna, estou interessada em fazer minha residência nos eua tbm... mas não estou conseguindo entender mtu bem como funciona. assim, se minha universidade for reconhecida pelo sistema americano, mesmo assim preciso de cartas de recomendação americanas? ou podem ser as dos meus professores brasileiros? e é a universidade que irá me ajudar nesse ''projeto''? obrigada pela ajuda

    ResponderExcluir
  15. olá Lorna, gostaria de lhe fazer algumas perguntas. Essa prova dos steps serve como entrada para a residência americana ou tenho que passar primeiro na prova da residência daqui? tenho que concluir a residência daqui antes de tentar a americana? E depois, como fica a questão da cidadania americana, caso vcs permanessão nos EUA? obrigado

    ResponderExcluir
  16. Anônimo, você precisará de cartas de recomendação sim. Mesmo os americanos precisam de carta de recomendação! O fato é que carta de recomendação de um professor de uma universidade americana conta muito na prática. Embora você possa só ter carta de professor brasileiro, a de um professor daqui pesa infinitas vezes mais.
    Não entendi quando você perguntou se é a universidade que vai te ajudar. Como assim ajudar? Ajudar em quê? As cartas de recomendação são solicitadas pelo aluno aos professores que o conhecem e que possam portanto, falar dele e do percurso que ele teve na faculdade.

    Anônimo 2,
    A residência brasileira não vale aqui, portanto, para ser residente aqui, você precisa fazer os steps. Ou seja, não precisa fazer a prova de residência aí e nem finalizar a residência brasileira. Claro que, se você é especialista no Brasil, isso pode contar pontos a seu favor. Mas todo brasileiro que eu conheço veio pra cá sem a residência.
    Para chegar na cidadania americana ainda teremos muito chão. Meu marido veio com o visto J1, esse visto exige que quando terminar o treinamento, ele fique 2 anos no Brasil. Existe uma maneira de pedir waver e nesse caso, meu marido ficaria com o visto H1. 6 anos com o visto H possibilita entrar com o pedido do green card, 5 anos com o green card você pode aplicar para cidadania. Ufa!

    ResponderExcluir
  17. oi lorna, sou a ''anônima'' das duas últimas perguntas... e se eu tiver cidadania italiana, será que pode me ajudar a obter o green card mais fácil? ou não muda nada? hehe obrigada

    ResponderExcluir
  18. Oi Carol,

    Bom, eu não sei falar especificamente da Itália, mas o visto J1 é assim, independente do país de origem.

    ResponderExcluir
  19. Oi lorna, estou aplicando para urologia e já fiz o step 1 e marquei o step 2CS. No entanto, não fui muito bem, apesar de passar. Quanto o seu marido tirou nos steps, e isso realmente conta muito? Quando mais ou menos que ele começou o processo de application? Ele usou o NRMP ou o ERAS? Desculpa pelo monte de perguntas, mas é que já algum tempo tenho acompanhado o seu blog com suas experiências e realmente vcs tem vivido uma história fascinante, a qual eu e minha noiva estamos querendo fazer bem parecido e eu não achei nenhum outro brasileiro com essa iniciativa de compartilhar tudo assim... Obrigado e parabéns pelo blog, está excelente...

    ResponderExcluir
  20. Anônimo,

    Agora que meu marido está do lado de lá (ele ajuda na seleção dos novos interns), acho que posso dizer melhor. Na verdade, tudo conta, quanto mais coisa você tiver é melhor. Se alguém perde no step, no jantar ou no dia da entrevista, todos os residentes já sabem a sua história na medicina. Acho que com uma nota baixa é mais difícil de ser chamado para a entrevista, mas além da nota, tem as cartas de recomendação, a experiência. O que é nota baixa para você? Meu marido tirou mais que 90 nas 2 provas, acho que foi 91 e 93, mas não tenho certeza. Tem um colega dele que fez 85 e está terminando a residência em outra cidade. O que eu posso dizer é que a nota importa, mas tem outras coisas que importam também e que talvez juntas, uma acabe importanto menos que a outra, depende do hospital. Meu marido usou o ERAS, mas eu nunca ouvi falar desse NRMP, o que é isso? Hoje não posso perguntar para Leo qual ele acha o melhor porque ele está de plantão. Qualquer coisa, manda email (lornabg@gmail.com) que eu pergunto para ele.

    Lorna

    ResponderExcluir
  21. Oi Lorna, gostaria de saber se poderia ficar me comunicando com voce por email para ficar tirando duvidas.. gostei muito das suas dicas e estou um pouco perdida sem saber como faço e por onde começar.. desde já, grata.
    Paula

    ResponderExcluir
  22. Parabens pelo blog Lorna! Muito bacana sua iniciativa! Sucesso pra voces.

    Larissa Costa
    Sao Paulo

    ResponderExcluir
  23. Oi Lorna,acho muito legal isso que vcs fizeram, de conquistar os sonhos de vcs e de compartilharem com a gnt, pois a experiência de quem já passou pelo processo ajuda muito...eu já me formei aqui no Brasil e queria fazer minha residência nos EUA...já olhei minha facul e ela está no sistema lá..ok...hahah...porém, fiquei com algumas dúvidas, quais os documentos necessários da faculdade daqui? Onde consigo ver sobre extern/observership?qual a diferença entre os dois? quanto tempo duram esses? o que são ERAS ou NRMP?desculpe a perguntação, bare with me please...Obrigada

    ResponderExcluir
  24. Adriana,

    Eu e meu marido tentamos lembrar os documentos que são solicitados, mas não conseguimos. Eu lembro que o diploma e histórico voc6e deve mandar para um tradutor juramentadoe depois enviar para eles. Lembro que o ERAS envia uma solicitação de documento para a universidade e eles tem de assinar e encaminhar.

    O ERAS é o portal que você, depois de fzaer os steps, se cadastra e coloca suas informações, curriculo, cartas de recomendação, carta de intenção, diploma etc. O NRMP é o local que você vai, depois das entrevistas, para rankear as universidades de sua preferência.

    Sobre a diferença do externship e observership: http://usce.blogspot.com/2007/04/basics-electives-clerkships-externships.html.
    Não sei como encontrar vagas, acho que você pode tentar procurar no site das universidades ou colocar no google mesmo.

    Outros links interessantes:

    http://usmle.zip.net/

    USMLE-Residência nos EUA BR (comunidade no orkut que tem tudo que é dúvida. Foi lá que meu marido encontrou informações)

    http://www.judithscliar.com/doctors-training-abroad/relacao-hospitais-estagio/index.html#eua

    Boa sorte na jornada! Qualquer coisa, é só falar.

    ResponderExcluir
  25. Olá Lorna, parabens pelo blog!!
    Visando o seu lado que está aí acompanhando seu marido...
    Como São as coisas? Meu marido ja fez todos os steps, estamos aguardando a ultima nota (a do ex clinico com os atores), e fico preocupada em saber o q me aguarda. Acabei de me formar em odonto e por mais que eu procure, esta dificil de obter informaçoes sobre como validar. a principio estou olhando cursos de ingles,mas o q eu queria mesmo era estudar na minha area.
    Pelo q li, se eu contactar uma faculdade, posso tentar mestrado na minha area?? é isso??
    Obrigada!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que vc pode validar o seu diploma e ser dentista geral mas tem que fazer umas provas

      Excluir
  26. Anônimo, para continuar a estudar na sua área eu vejo duas possibilidades: a residência e o mestrado. A residência em odonto é muito mais difícil de entrar que a residência médica. Tem menos vagas e dependendo da área, é praticamente impossível conseguir uma vaga sem ter estudado aqui. O mestrado é uma boa opção, porém é quase impossível conseguir uma bolsa para mestrado sendo internacional. Isso significa que você terá que pagar o curso todo. Eu estou terminando as provas para aplicar para um mestrado agora, no meu caso, como já moro mais de 1 ano aqui, eu pago o semestre como residente do estado (60% mais barato que se fosse aluna de fora), consigo emprétimo no banco para pagar a faculdade e ainda posso tentar bolsa de estudo.

    ResponderExcluir
  27. Lorna, muito obrigada, ajudou demais, vou começar a juntar a papelada e te mando notícias!!!!!!muito obrigada mesmo!!!!!

    ResponderExcluir
  28. Oi Lorna! Primeiro muuuito obrigada por esse blog, muito legal ver alguem tao disposto a ajudar os outros! Eu vou comecar o curso de medicina agora no meio do ano, e ja morei na Europa por varios anos por causa do trabalho do meu pai. Agora tenho que escolher entre uma universidade espanhola (Universidade de Navarra) e a Federal de Santa Catarina. Gostaria de saber se nos EUA faria alguma diferenca o local em que eu obtive meu diploma, ou se eles veem todos os estrangeiros da mesma forma. Voce sabe dizer como a formacao medica brasileira é vista por ai?

    Tambem, voce poderia me explicar o que é o waver? é dificil de conseguir? Porque mesmo depois de todo esse processo, acho que ter que ficar 2 anos no Brasil depois da residencia desanima bastante ne...

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luisa, não faz diferença nenhuma a universidade que o médico estrangeiro faça, o processo da residência aqui nos EUA será o mesmo.
      O waiver é a dispensa da sua obrigatoriedade de ter de ficar 2 anos no Brasil. No caso dos médicos aqui nos EUA, eu acho que
      é fácil porque tem um monte deles aqui. Mas certeza, não dá para ter.

      Boa sorte na faculdade!

      Excluir
  29. Olá meu nome é Tami, primeiro parabéns pelo blog e obrigado pela atenção,Estou no segundo ano da faculdade e já penso em fazer a residencia nos EUA,quero a area de oncologia,quero saber como é essa area ai?Durante a residencia é possivel trabalhar como clinico??Qual a melhor hora pra começar esse processo?Faço faculdade particular isso faz diferença?E voces acham que valeu apena financeiramente e profissionalmente?
    Desde já agradeço!
    Ps:Desculpa tantas perguntas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tami, eu não sei nada sobre oncologia.Para poder clinicar nos EUA, o médico precisa da residência. O que acontece é que o residente pode dar alguns plantões, mas sendo residente estrangeiro é complicado conseguir plantão por fora devido as regras do visto. A melhor hora para começar o processo é quando a pessoa estudou bem os assuntos e se sente preparada para fazer as provas. Sua universidade deve está cadastrada (tem o link no texto acima) e não importa que seja particular. Bom, esse negócio de valer a pena é muito relativo e eu não sei seus objetivos. O programa de residência da UAB é muito bom, meu marido está tendo uma formação excelente. O salário está na média dos salários que uma família americana ganha.

      Excluir
  30. Olá Lorna, tudo bem contigo? Inicialmente quero parabeniza-lá pelo blog! Sou estudante de medicina e tenho interesse em fazer residencia medica nos EUA. Para isso gostaria de tentar um observership em alguma universidade americana. Você sabe me informar como conseguir um observership aí nos Estados Unidos? Obrigada desde já pela atenção! Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lara, infelizmente não conheço esse processo. Talvez, no update 3 do post acima, você possa encontrar alguma informação.

      Excluir
  31. Ola Lorna, parabens pelo seu blog! Gostaria de saber mais informacoes suas(sobre residencia medica, pos graduacao...), se possivel. Meu e-mail: madelimaferraz@hotmail.com; podes me enviar um E-mail?
    Muito obrigada.
    Maria Antonia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Antônia, meu email é lornabg@gmail.com, pode mandar email com suas perguntas, se eu souber responder, farei com prazer.

      Excluir
  32. Oi Lorna,

    Parabéns pelo blog e pela disposição em nos ajudar sobre esse processo complicado que é conseguir fazer residência médica nos EUA. Mas a minha pergunta foge um pouco da questão do processo em si. Eu queria saber mais a respeito da saúde financeira dos médicos nos EUA. Pergunta prática mesmo. Sabemos que no Brasil, em São Paulo por exemplo, um médico que trabalha em regime de plantões recebe entre 700 e 1300 reais por 12 horas de plantão, dependendo da especialidade. Dá pra você nos passar mais ou menos como funciona aí nos EUA? Claro que varia de Estado para Estado e de especialidade para especialidade. Mas no geral, os médicos aí estão bem remunerados?

    Muito obrigado pela atenção.

    Marcelo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, aqui não é simples dá plantão principalmente no caso de residente estrangeiro. Há uma série de regras e não é muito comum dos residentes estrangeiros conseguirem plantão. Por exemplo, só é permitido plantão na própria faculdade que o contratou e não pode passar das horas que foi contratado (nocaso, 80hs/semanais). No último ano, a carga horária é menor e um professor precise de alguém em seu lugar, pode indicar o residente. Aqui, o residente recebe entre $50 e $100/hora + procedimento, depende da área. Aqui no Alabama o médico tem contrato com 1 ou 2 hospitais e lá está especificado o número de plantões (o médico fica em casa e qualquer emergência, vai para o hospital). Não é tão comum quanto no Brasil, do médico ficar dando plantão em um monte de lugar diferente e sem contrato, sabe. O salário inicial de um médico depois da residência é de $180/ano, mas todo mundo que a gente conhece aqui, recebe mais do que isso. O bom mesmo é durante a residência se certificar para poder fazer procedimento, porque isso sim dá dinheiro (você pode dobrar sua renda)

      Excluir
  33. Oi, Lorna.
    Parabéns e obrigada por ter abordado este assunto em seu blog.
    Estudo na Ufba e queria saber se o histórico da faculdade tem grande peso, ou seja tenho que ter um histórico recheado de 8,9,10 ou o que realmente importa são as notas dos steps?
    Desde já, muito obrigada.
    Sara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sara,

      Quanto maior, melhor. Mas na verdade eles vão olhar muito para suas notas nos steps e sua carta de recomendação. Meu marido teve 7 e até foi para final em uma matéria do primeiro semestre e mesmo assim conseguiu a vaga. Agora, nos steps ele fez acima de 90.

      Excluir
  34. Bom dia lorna, estou no 4 ano da faculdade de medicina e pretendo fazer residencia e trabalhar nos EUA, no momento o que vc aconselharia eu fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. á escrevi um post sobre isso, dá uma olhadinha http://aventurasnamagiccity.blogspot.com/2012/01/residencia-medica-nos-eua-por-onde.html

      Excluir
  35. Lorna, meu nome é Anelise, sou médica. Faço residência em SP. Tenho um amigo norte-americano que fez faculdade aqui no Brasil, começou residência de cirurgia geral, mas não agüentou o tranco de ser r1 aqui. Que diga-se de passagem, r1 aqui eqüivale à escoria, é muito desestimulador. Como é ser r1 ai? Se vc puder, meu e-mail: ane_med@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Anelise,
      Olha, aqui R1 é...nada. Como a gente diz na Bahia: é peão. Eu perguntei para meu marido e ele disse brincando: o que é R1? Ele disse que é semelhante aqui, mas não acontece a falta de respeito que você descreveu no email. Assim que tiver tempo, respondo o email.

      Excluir
  36. Olá
    Seu marido fez muitas atividades extra-curriculares durante o curso, como ligas, publicações, congressos? Gostaria de saber a importância desses quesitos na seleção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, ele fez tudo isso que você falou. Para falar a verdade, participar de congresso não faz diferença, a não ser que você apresente algo. Mas participar de liga, por exemplo, é legal para voc6e colocar na carta de intenção e mostrar que tem interesse na área. Publicar artigo conta bastante ponto, principalmente em revista internacional. O fato é que cada programa foca em um perfil diferente, mas quanto maior for o seu currículo, melhor. Na entrevista do meu esposo, aqui na UAB, eles leram o artigo que meu esposo publicou e fizeram perguntas a respeito.

      Excluir
  37. Esses steps precisam ser pagos?onde eu faço?eu preciso viajar até lá pra fazer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, aqui nos EUA não tem nada de graça. O step 1 e a parte teórica do step 2 podem ser feitos no Brasil, o resto só nos EUA. No site da USMLE você encontra mais informações.

      Excluir
    2. onde eu faço o step 1 e 2 aqui no Brasil,e onde eu faço o step 3 nos estados unidos?

      Excluir
    3. Vê no link: http://www.pages.drexel.edu/~dmd42/usmle/centers.html#latinamerica

      Excluir
  38. Oi, achei sua historia pelo google rs.. Ainda estou longe de me formar, mas tenho como plano exercer a profissao nos Estados Unidos também. Mas gostaria de saber sobre os custos se vc puder me informar, vc disse que gastou 45 mil, esse total inclui os custos da tuition da residencia ou foi apenas para chegar la? Infelizmente tenho uma reserva meio limitada de fundos, e ja estou pensando em quanto vou ter que juntar.. se for possivel vc poderia detalhar melhor os custos? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mara, não tem tuition na residência. É igual no Brasil: você paga pela prova de residência (que aqui são 3) e se passar, vira residente e recebe salário. O custo inclui as viagens para os EUA (tanto para fazer a prova, quanto para as entrevistas e também para a segunda entrevista). Custos com visto, documentos, exames, correio. Custo com as provas e materiais de estudo. Custos com o CRM daqui. Custos com a mudança para os EUA, plano de saúde, aluguel, carro e alimentação para nosso primeiro mês aqui.

      Excluir
    2. Nossa que maravilha, achei que la td fosse pago rsrs.. é bastante dinheiro mas totalmente possivel. Obrigada pela resposta! E parabens pelo post, ajudou bastante!

      Excluir
  39. Lorna,achei esse site que fala tudo sobre a residência:http://usmlematch.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, obrigada. Já até coloquei esse site no texto acima.

      Excluir
  40. Lorna, Parabéns pelo Blog !
    Gostaria de saber qnto tempo durou todo esse processo até entrar na residencia ? Eu me formei em medicina na Bolivia ( minha faculdade esta na lista ) e tenho que validar meu diploma no Brasil, mas pelo sacrificio, poderia tentar no caso a residencia ai, ja que o processo tbm seria custoso. Só uma média de tempo. Obg !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. felipe, isso é muito relativo pois depende do candidato. A inscrição começa no final do segundo semestre de cada ano e até a data, o candidato tem de ter os passos completos. Meu Marido levou uns 10 meses para fazer as 3 provas e se preparar para cada uma delas, mas já havia feito intercâmbio e já tinha as cartas de apresentação.

      Excluir
    2. Então, ano que vem eu realmente irei. Só preciso saber em que parte dos EUA seria mais viável a ir. Estou terminando meu internato no Brasil
      O que eu posso conseguir daqui que possa me ajudar ai, por exemplo as cartas são de dr. aqui do Brasil ? O que precisa constar nelas ? Precisam ser escritas em Ingles ? Enfim, o que pode me ajudar.
      E...queria fazer cir. Plastica, no Brasil preciso primeiro fazer a Cir. Geral, ai é da mesma forma ? E qnto tempo é de Residencia ?
      Muito grato pela disposição em ajudar !

      Excluir
    3. Vc disse no seu post que é importante passar uma temporada ai, com professores, fazer pesquisas,.. como consigo isso ? Para saber com que tipo de visto devo entrar.

      Excluir
    4. Felipe, as cartas precisam estar em inglês. Coloca no google "recomendation letter model" que você vai ter uma noção de como os professores devem escrever. Eu não sei nada sobre a residência de cirurgia, o que você pode fazer para ter informações é entrar nos sites das universidades e na residência de cirurgia plástica.

      Excluir
  41. Oi, já terminei a residência de ginecologia e obstetríci e esse ano termino a de mastologia. Gostaria de exercer a medicina nos EUA. Como não fiz intercambio não tenho as cartar de recomendação.Gostaria de saber se servem as que eu obtiver no Brasil e se tem como eu exercer a minha especialidade sem ter que fazer orra residência. Bjs e obrigada
    Maria Helena
    mhsf_2@hotmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria, a residência feita fora dos EUA não permite ninguém ser médico aqui dentro. A residência é a forma que eles têm de validar o diploma estrangeiro.O que você fez no Brasil conta pontos porque é experiência, mas se quiser ser médica aqui, terá que enfrentar a residência outra vez. Cartas de recomendação brasileiras são bem-vindas, mas na prática, isso não te faz uma candidata forte porque eles querem ter certeza que você sabe trabalhar no padrão americano. De todos os médicos estrangeiros que conheço aqui, todos passaram uma temporada (ou fazendo mestrado/doutorado ou observando) paraconseguir cartas de recomendações. Inclusive, conheço um neurologista brasileiro que tinha doutoradoe residência no Brasil, mas não conseguiu nada com as cartas de recomendações brasileiras. Ele acabou fazendo um estágio de 3 meses aqui nos EUA, conseguiu a carta e está se formando no meio do ano que vem em neuro aqui nos EUA.

      Excluir
  42. Olá Lorna, eu quero fazer o step 1. então como explicar, eu faço medicina não no Brasil, mas na Bolívia to no 2ª ano, caso 4ª semestre de uma universidad pública aqui. Queria toda informação que você pudesse me dar, por exemplo li a maioria das suas respostas, o que eu quero saber é se eu entendi certo quando você disse que quem passa em todos os níveis de Step`s não precisa fazer prova de revalidação para trabalhar ai, é isso? você sabe se para uma faculdade boliviana seria o mesmo processo?! ummm e como eu faço pra poder comprar os livros.

    Obrigada desde, já!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dionara, eu não entendi muito bem asua pergunta. Bom, os steps servem como forma das universidades americanas se certificarem que o candidato está apto a fazer a residência aqui nos EUA.
      Os steps são um dos requisitos para conseguir a vaga em um programa de residência, ou seja,depois que passar nos steps, tem que fazer a resid6encia médica nos EUA para poder clinicar aqui.

      Excluir
  43. O que eu perguntei Lorna foi, se depois de finalizar minha residência ai, posso trabalhar ai? e que local você me indica para eu ir fazer esse step? sendo que eu não conheço nada dos Eua, e o mesmo lugar que eu faço a 1ª eu tenho que fazer os outros exames?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, quando você finalizar a residência pode trabalhar aqui (pelo menos em teoria, na prática tem as questões relacionadas ao visto). O step 1 pode ser feito no Brasil, a parte teórica do step 2 também. Vai lá na página da UMSLE que você encontra informações dos locais da prova.

      Excluir
    2. fiquei feliz se saber que eu posso fazer aqui. vo procurar sim! e mas uma vez Obrigada, qualquer duvida eu te pertubo novamente. :)

      Excluir
  44. Oi, Lorna. Td bem?
    Eu e meu marido somos médicos aqui em SP. Eu dermato e ele psiquiatra. Temos uma filha pequena, de 18 meses, e com a violência crescente daqui, decidimos ir morar fora. A principio estamos pensando em um dos dois irmos como medico pesquisador (o q conseguir vaga primeiro) enquanto o outro faz residência. O q eu queria saber é: qual o salário de um medico residente? Já ouvi que ganham entre mil e 4 mil dólares. Vc poderia me dar uma luz? Precisamos saber se o salario de residente da para sustentar minimamente a familia...A residência da algum tipo de seguro saúde ou temos que contratar por fora? Esse visto de trabalho é concedido como? E como é isso de fazer procedimentos durante a residência ? Super obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu tenho certeza que nenhuma universidade paga só $1000. Os salários variam de acordo com a universidade e a especialidade. Essa informação é fácil de encontrar, entra nas páginas dos programas de residência das universidades na especialidade escolhida e depois procurar o link dos benefits. Quase todas as universidades listam os salários. Mas olha, o salário do residente dá tranquilo para bancar uma família pequena. Claro que sem muito luxo e com certeza, bem diferente dos padrões brasileiros. O seguro saúde também depende do hospital, tem hospital que paga 100% e ainda paga o seguro odontológico. Tem hospital que paga uma parte. A UAB paga a maior parte, a gente paga uns $300 por mês para o seguro da família (na verdade o seguro banca 3 pessoas, mas aqui somos só nós 2). Mas nesse seguro está incluso o seguro odontológico e oftalmológico que dá um descontão em lentes de contato e óculos. Como nós 2 usamos óculos e temos ceratocone, é uma boa!

      Excluir
  45. Eu não tenho palavras para este grande post. Eu realmente gosto dele. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  46. Lorna, queria saber se para fazer residência aí preciso ir logo depois que me formar ou se posso passar um tempo fazendo residência aqui para juntar o dinheiro necessário para todo o processo(entrevistas, testes, passagens...) e só depois que tiver uma situação financeira relativamente segura começar a me inscrever para fazer os steps? E o estágio para conseguir as cartas de recomendação, posso fazer depois de formada ou tenho que fazer durante o curso? obs: eu sei que a residência feita aqui não tem valor lá nos EUA. Eu faria aqui alguns anos só para ter uma situação financeira mais estável para passar por esse processo de viagens aos EUA, que como você disse não é barato.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol, você pode fazer residência nos EUA em qualquer época depois de formada. É igual no Brasil, não é necessário fazer logo após de se formar. Os americanos fazem porque é pré-requisito para ser médico aqui. Aqui nos EUA, depois que a faculdade de medicina acaba, nonguém pode clinicar, todo mundo precisa da residência para ser médico defato e de direito. Se o seu objetivo é fazer dinheiro depois de formada, acho que você não deveria fazer residência. Primeiro porque a carga horária é alta, depois porque paga muito mal. Meu marido se formou e enquanto fazia o mestrado, deu muito plantão para pagar as contas e investir na residência americana.

      Excluir
    2. Muito obrigada querida, me ajudou bastante. Aida estou no começo do meu curso,mas já estou pensando em fazer a residência ai nos eua. Outra pergunta:o estágio e os 'steps'eu poderia fazer também só depois de formada?

      Excluir
    3. Sim. Voce pode iniciar todo o processo depois de formada

      Excluir
  47. Lorna, como é a vida de um médico depois da residência? A carga horária também continua muito pesada como na residência? A pessoa fica muito carregada e sem tempo como na residência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonimo, voce esta perguntando sobre o fellow? Bom, no fellowship a carga horaria eh menor e dependendo da area, voce nao precisa dar mais plantao.

      Excluir
    2. sim, queria saber como é a vida de um médico já formado trabalhando normalmente aí nos EUA. Se continua sendo uma jornada de trabalho muito desgastante como na residência.

      Excluir
    3. Bom, isso é muito relativo, depende da área, do tipo de contrato. De qualquer forma, o profissional vai ganhar bem, então pelo menos ele vai se sentir motivado nesse aspecto.

      Excluir
  48. Oi!
    Paragons pelo blog!
    Qual universidade seu marido escolheu? Tam me queria fazed neurologia!!!

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Talyta, não é bem uma escolha, é todo um processo para "matchear" em uma universidade. meu marido passou na UAB (university of Alabama at Birmingham).

      Excluir
  49. Ola lorna tudo bem? Eu estou no 4 ano.. Mas ja queria comecar a ver uma residencia por ai..
    Eu ja posso fazer os steps? Todos? E uma coisa que eu nao entendi.. Dpois de todos os steps eu tenho que prestar outra prova pra residencia, ou é so fazer o ranking?

    O seu marido comecou a residencia e so dpois fez o step 3?

    Obrigada desde jaa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você pode fazer as provas, inclusie o step 3. Para aplicar para as entrevistas, é interessante que voc6e tenha o step 1 e 2 para ficar competitiva. Depois de fazer as provas, você vai aplicar para as entrevistas e se "matchear" em algum lugar, começa a residência.

      Excluir
  50. OI LORNA
    PRIMEIRO QUERIA DAR OS PARABENS AO BLOG!
    DUAS DUVIDAS: O GOVERNO AMERICANO OFERECE ALGUMA AJUDA FINANCEIRA AOS RESIDENTES APROVADOS NESSES TESTES OU A PESSOA QUE DEVE BANCAR TUDO?
    E EXISTEM ESTADOS COM "concorrencia' maior?

    GRATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcos, o governo americano não dá ajuda de custo para ninguém que faz as provas, na verdade, isso não faz nenhum sentido. O processo de seleção para as universidades americanas é custeado pelo candidato, independente dele ser americano ou não. Agora, quando o candidato passa na residência e assina o contrato, trabalha como residente e recebe um salário mensal.

      Excluir
    2. SÓ MAIS UMA PERGUNTA,
      ANDEI PESQUISANDO EM ALGUNS SITES DE UNIVERSIDADES E LÁ PEDIA QUE ESTUDANTES INTERNACIONAIS DEVERIAM COMPROVAR QUE BANCAVAM UM SEMESTRE DE MENSALIDADE E CUSTOS DIÁRIOS, SEU MARIDO TEVE DE FAZER ISSO?
      OBRIGADO

      Excluir
    3. Marcos, eu não sei a que mensalidade você está se referindo. O residente médico recebe salário e não paga mensalidade. Mas claro que você precisará trazer o dinheiro para se manter no primeiro mês, já que o salário só sai no fim do mês.

      Excluir
  51. Oi Lorna. Adorei o seu blog. Tirei muitas dúvidas aqui. E parabéns pela sua vitória...!!!
    Eu estou me mudando para Orlando em maio de 2013 com o meu marido. Ele montou um negócio e vamos mudar.., mas eu sou médica e gostaria de continuar exercendo a medicina ao invés de trabalhar em outra coisa nada a ver. Estou com visto de negócio e como cidadã italiana, pois tenho dupla cidadania. Mas fiz faculdade e residência na UFF aqui no Brasil . Sou Ginecologista e Obstetra. Você acha que eu tenho que seguir os mesmos passos ou tenho algum caminho diferente ? Queria saber a sua opinião...já que você está aí há tanto tempo....Obrigada Li

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anonima,
      Se você quiser ser médica aqui, ou seja, se você objetivar clinicar, tem de fazer residência. Não importa o que você fez depois da faculdade no Brasil, a forma que os EUA tem de validar o diploma é, além dos steps, os médicos fazem resdidência aqui. Aqui nos EUA, diferente do Brasil, depois que a pessoa se forma em medicina, para ela poder clinicar precisa da residência também, não basta se graduar. É a estrutura daqui. Agora se você quer trabalhar fazendo pesquisa, pode ser possível dependendo do seu currúculo.

      Excluir
    2. Oi Lorna,

      Obrigada pela resposta..
      Feliz ano novo !!!! Um ótimo 2013 para você e sua famíia...e que você continuei a viver intensamente as suas vitórias ...

      Eu pensei que os steps já validavam tudo...
      Então eu vou ter que fazer as duas coisas se eu quiser clinicar...os steps para validar o diploma e a residência para a especialidade que eu quiser , certo ?
      Poxa...bem trabalhoso para quem já fez tudo isso né??
      Tenho até trauma da Residência..de tanto que eu estudei para entrar direto na residência assim que terminei a faculdade...

      Passar por tudo isso mais uma vez...me dá calafrios...

      Mas pelo jeito..não tem outra forma para clinicar...

      Você tem alguma sugestão na Flórida para Residência Médica ?

      Obrigada mais uma vez...Li

      Excluir
    3. Pois é, para ser médico nos EUA tem de fazer residência aqui (isso serve para americano também). Na Flórida eu só conheço a Universidade em Miami e a de gainsville. E a de Gainsville é muito boa (do ponto de vista da neurologia).

      Excluir
  52. Ei Lorna! Parabens pelo blog! Sanou todas as minhas dúvidas, praticamente! Gostaria de saber quais os locais dos EUA você recomendaria, ou quais as faculdades são melhores. Outra coisa, como é a residencia de anestesiologia por aí? Pelo o que fiquei sabendo não é muito bem remunerada ou reconhecida como é por aqui pelo Brasil!
    Grata,
    Anelise

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anellise, a faculdade depende muito da área. Por exemplo, a UAB é ótima para neuroclínica (umas das 4 melhores do país), mas não é tão boa para neurocirurgia. Outro exemplo é a Harvard, sem sombra de dúvida uma excelente universidade, mas para a sub-especialidade que marido quer, não é tão boa assim. Então, isso é muito relativo. Outra coisa é focar também na cidade, eu posso dizer que a cidade importa muito. Tipo B'ham é uma cidade muito ruim para mim e isso dificulta bastante o processo todo. O que você chama de bem remunarada? Com certeza a média do salário aqui será maior do que no Brasil, mas essa idéia de que todo médico nos EUA é rico não é verdade (embora todo médico nos EUA viva muito bem com salário bem acima da média nacional). Vou perguntar para marido o que ele sabe de anestesio e volto para te falar.

      Excluir
  53. Lorna, planejo entrar na faculdade de medicina da UFPE esse ano, mas queria saber já com antecedência como fazer residência médica nos EUA para poder me planejar! Me manda um e-mail por favor? Segue abaixo:

    samuelsbrasileiro@hotmail.com

    Agradeço desde já a atenção,
    Samuel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel, eu fiz alguns post sobre o assunto. Clica nos marcadores ao lado "residência médica nos EUA". são 13 posts que podem te ajudar. Caso você tenha alguma dúvida, pode entrar em contato com as perguntas que se eu souber, responderei com prazer.

      Excluir
  54. Olá Lorna,

    Primeiramente parabéns pelo seu blog. Sou médico psiquiatra e tenho a intenção de fazer residência em Neuro ai. A minha duvida é em relação ao tal 1 year internal medical internship que se faz antes dos 3 anos da residencia? Como funciona? tenho q fazer isso antes ou já faz parte da residência?
    Alem disso gostaria de saber quando geralmente começam as residemcias ai (mês)? e em q mes q se aplica para o match(atraves do ERAS, eh isso neh)? Pergunto isso pois iniciei meus estudos pros steps agora e minha intençao era de fazer a residencia ano q vem...lembrando q ainda tenho q passar uns meses ai pra conseguir as cartas (li isso varias vezes por aqui..hehe)..
    Muito obrigado pela ajuda.

    Richard

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Richard, normalmente quando você aplica para a vaga de residência está descrito se o programa tem o primeiro ano de residência incluso(categorical) ou não (advanced). Caso seja advanced, você tem de aplicar para 2 programas: o de clínica médica (só um ano) e de neuro. Meu marido optou pelos programas categorical.
      A residência médica inicia em julho, mas aqui na UAB os treinamento para mexer no sistema, ACLS inicia em junho. Aqui, a última semana do ano (última semana de junho) é de folga para o R2, logo o R1, começa na última semana de junho para cobrir a ausência dos R2.
      Sobre o eras, eu não tenho certeza, mas está no site. O que eu sei é que tem Programa que inicia as entrevistas em setembro (marido se inscreveu em outubro, pois foi quando ele recebeu o resultado do step2).

      Ps:Gostei das suas perguntas!

      Excluir
  55. Lorna...tudo bem? Faço faculdade na Bolívia estou no 7 semestre e gostaria de saber como é a residencia pra quem estuda medicina na Bolivia.. Aguardo respostas!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriella, como assim "como é a residencia pra quem estuda medicina na Bolivia"? Não entendi muito bem a sua pergunta...você quer saber como é o processo para fazer residência nos EUA? Se sim, o processo é igual a quem faz faculdade de medicina no Brasil.

      Excluir
  56. OI LORNA, TD BEM, ME TIRA UMA DUVIDA-
    TODAS AS FACULDADES/UNIVERSIDADES AI SÃO PUBLICAS OU EXISTEM PARTICULARES TBM?
    O PROCESSO DE RESIDENCIA(IGUAL DO SEU MARIDO) FUNCIONA TANTO PRA PUBLICA TANTO PARTICULAR (CASO EXITSTA? GRATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aqui tem universidade pública e particular, mas o processo é sempre o mesmo.

      Excluir
  57. ola Lorna td joia ? conversei com um amigo que como seu marido tb conseguiu , ele esta na universidade de miami , ele me contou que antes da residencia fez um programa de rotação tipo um obsevership por 4 meses , que foi custeado por ele , vc sabe se isso é realmente necessario ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, o candidato precisa de cartas de recomendação de professores de universidades americanas para ficar competitivo e essa é uma das maneiras de conseguir. Tem gente que vem fazer mestrado/doutorado também. Cada um escolhe um caminho, o que eu sei é que sem cartas de professores daqui o candidato praticamente não tem chance.

      Ps: o nome do seu amigo é João? Porque o colega de turma do meu marido chama João e fez esse caminho que você falou no comentário.

      Excluir
  58. Antes de tudo, muito grato pelas informações do blog.

    Tenho interesse em fazer residência aí nos EUA. Iniciarei este ano minha faculdade de medicina aqui no Brasil. Quero concluí-la aqui mesmo. Entretanto, planejo fazer muitos plantões para conseguir o dinheiro necessário para custear todo o processo para residência aí. Tenho planos de fazer um programa de intercâmbio universitário para os EUA durante o meu curso já visando a uma carta de recomendação para a residência. Ou, uma outra maneira, fazer o observership após a graduação e depois de juntar o dinheiro suficiente por aqui. Nesse momento, faço um curso de inglês para adquirir boa fluência. Eu entendi que posso fazer os steps a qualquer momento, correto? É possível eu fazer o Step 1 no início do meu curso e o Step 2 e 3 só no final? Seria um intervalo de 5 a 6 anos entre os testes. Isso seria válido? Ou só posso fazê-los após a conclusão total do curso?

    Meu e-mail é allyssonmelo@folha.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Allysson, eu não tenho certeza, mas acho que a prova tem validade de 7 anos. Não tem problema o intervalo entre uma provae outra não.

      Excluir
  59. OLA LORNA, TUDO OKS?
    GOSTARIA DE UMA AJUDA SUA, ESTOU QUERENDO IR PARA A BOLIVIA FAZER MEDICINA, OLHEI NO SITE QUE VC INDICOU (IMED) E A MINHA FACULDADE DA BOLIVIA ESTA LA, MAS SÓ DELA ESTAR LA ISSO JA BASTA PRA EU SER ACEITO EM QUALQUER UNIVERSIDADE AI DOS EUA? GRATO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não entendi a pergunta. Bom, você tem que passar por todo o processo até ser aceito por algumas universidade americana: provas, cartas de recomendação entrevistas etc.

      Excluir
  60. Entndo.
    Essa duvida me surgiu pq eu entrei no site da ucla (so pra curiosidade) e la disse que para ser aceito era necessario a faculdade de onde eu me formar deveria ter boas relaçoes com a ucla. Por isso eu achei que so de constar no imed, nao seria necessario

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, as universidades podem colocar alguns requisitos, mas no geral, não tem problema. Por exemplo, uma pessoa me falou que em um hospital eles colcocaram que o candidato precisa ter no máximo 5 anos de formado. Essa regra não abrange todos os hospitais, só aquele...

      Excluir
  61. VOCE SABERIA INFORMAR SE CORRERIA O RISCO DE UM NÃO SER ADMITIDO EM NENHUMA UNIVERSIDADE?OBRIGADO PELA ATENÇÃO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, com certeza. Para entrar na residência médica aqui você passa por uma seleção e como tal, nem todo mundo consegue vaga.

      Excluir
  62. Boa noite, Norma,
    Estou muito interessada em fazer residencia medica aí nos EUA quando me formar. Gostaria de saber se os programas de residencia, assim como as universidades americanas, são pagas. Se sim, quanto custa em média por mês? O governo brasileiro dá alguma ajuda? E o americano, ajuda?

    Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Natacha, meu nome é Lorna mesmo (sou traumatizada com as pessoas me chamando de outros nomes :) )

      O residente recebe um salário do hospital que lhe emprega e não é necessário pagar para fazer a residência.

      Excluir
  63. oi Lorna, boa tarde,
    seu marido fez qual curso de ingles antes de ir pra ai?
    gostaria de um que pudesse me ajudar a falar, não apenas estudar ingles, quero falar.
    obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade meu marido fez um curso no ACBEU na área médica e depois fez um semestre de conversação em um curso perto da universidade.

      Excluir
  64. oi Lorna, tudo bem. venho acompanhando seu blog, vi algumas informações, e tenho uma duvida: o que é o Grade Point Average (GPA)? vc sabe o que é?
    obrigada

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aline, você encontra essa informação aqui http://en.wikipedia.org/wiki/Grade_%28education%29
      O GPA nada mais é do que uma média das notas.

      Excluir
  65. Oi Lorna,
    Adorei os posts..queria tirar algumas das muitas dúvidas que tenho...em relação ao inglês tem que ser fluente pra tentar os steps? sou médica oftalmo e vi que a residência médica nao serve aí..será que valeria a pena tentar acompanhar algum serviço na minha área pra facilitar revalidar o diploma? outra coisa..quano tempo é a residência médica aí? você recebe algum dinheiro ? Obrigada pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não precisa ser fluente para tentar os steps, mas no step 2 Cs você terá de atender 10 "pacientes", então, tem que ter fluência na língua. Como você vai precisar de carta de recomendação de alguém daqui, é bom acompanhar um serviço. E sim, o residente ganha salário. O tempo depende da especialidade, eu não sei o tempo de oftalmo, mas você pode encontrar essa informação nos sites dos hospitais.

      Excluir
  66. LORNA, SEU BLOG É O NOSSO PRIMEIRO STEP, ANTES DOS STEPS! OBRIGADO POR NOS AJUDAR TANTO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ai, como eu fiquei feliz com esse comentário! Você sabe que eu não ganho nada postando essas coisas, só a vontade de ajudar, já que não encontramos muitas informações na nossa época. Obrigada!

      Excluir
    2. ME SENTI NA OBRIGAÇÃO DE TE AGRADECER POR ESSA INICIATIVA.

      Excluir
    3. Obrigada Marcos. Espero que te ajude :)

      Excluir
  67. Oi Lorna! Parabéns pelo seu blog! Ele é maravilhoso e esclarece todas as dúvidas! Eu e meu namorado estamos querendo nos aventurar por aí também! Somos médicos e ainda não fizemos Residência médica aqui no Brasil. Pretendo tentar dermatologia e ele ortopedia por aí! Gostaria de saber como faço pra conseguir achar um curso por aí na minha área pra que pudéssemos conseguir as tão sonhadas cartas de recomendação! Queremos fazer este curso na Califórnia, mas a maioria dos sites de universidades não diz muito sobre o assunto; eles têm o link residência e dizem se aceitam ou não estrangeiros, mas sobre cursos de alguns meses quase não se fala ou se fala somente para alunos que estão cursando a faculdade. Existe um site ou blog em que eu possa encontrar informações?!? Desde já, muito obrigada! Bjsss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Juliana, eu não conheço nenhuma lista. No entanto, coloquei no google observership ucla dermatology e achei 2 sites legais. O primeiro é http://www.imgassist.com/obexli.html#California e o segundo http://www.residentscafe.com/list_of_hospitals_offering_observerships. Coloca no google outras combinações para ver se voc6e acha algo.

      Excluir
  68. OLÁ LORNA, BOA NOITE
    GOSTARIA DE SABER ACERCA DE UMA INFORMAÇÃO: POR EXEMPLO, SEU MARIDO SE FORMOU NO ALABAMA, SE ELE QUISER CLINICAR APÓS FORMADO EM OUTRO ESTADO ELE PODE?
    É PQ OUVI DIZER QUE CADA ESTADO TEM SEUS REQUERIMENTOS, E QUE ERA NECESSARIO OUTRA PROVA PARA PODER CLINICAR EM ALGUM OUTRO.
    OBRIGADO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, com certeza absoluta meu marido irá clinicar em outro estado. Chega de Alabama! Sei que ele terá que fazer a prova de título, fora isso, ainda não tenho informação. Quando souber, faço um post sobre isso.

      Excluir
  69. Oi Lorna!
    Primeiro de tudo, MUITO OBRIGADO pelas infos! Vc com certeza abriu novos horizontes profissionais que eu nem sabia que existiam!

    Minhas dúvidas:
    1) Com o salário de residente daí dá pra sustentar um casal + filho?
    2) As residências são full time ou dá pra fazer residência e trabalhar simultaneamente em outro serviço?

    Obrigado e tudo de bom pra vocês dois! Deus abençoe!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, os americanos aqui tem 2,3 filhos e devem em média $200,000.00 e vivem bem. Assim, aqui os colegas do meu marido tem carros beeem antigos, mas que funcionam, no Brasil a gente não usa esse tipo de carro, a gente compra algo mais novo. O conforto com certeza vai ser menor do que temos no Brasil (ainda mais médico), mas dá para viver sim. Não vou negar que é apertado, mas é até tranquilo.

      O residente estrangeiro recebe um visto vinculado com a universidade e só pode trabalhar lá. são 80hs semanais e não sobra tempo para trabalhar em mais nada.

      Excluir
  70. Ei... sou estudante de Fonoaudiologia pela Universidade Federal do Espírito Santo, estou do 2 anos de faculdade ainda. Gostaria de saber se você sobre a residência de fono aí, se existe, se vc já ouviu falar ?
    Desde já muitoooo OBRIGADA !
    Att,Letícia Dornelas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Letícia, eu acho que não há residência para fono aqui nos EUA, nunca ouvir ninguém comentar, mas não tenho certeza. Sei que no Brasil tem residência até em psicologia, mas aqui não

      Excluir
  71. Lorna,
    estou tentando achar uma nota de corte do step 1 pra entrar em um programa bom de residencia. Voce sabe qual foi a nota de 3 digitos que seu marido tirou no step 1?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Filipe, eu não sei. Perguntei para marido e ele disse que não lembra...como o mais importante mesmo é o percentil, digo que ele fez 91 no step 1 e 93/95 (não lembro exatamente) no step 2. O que ele me disse é que para os estrangeiros ficaremcompetitivos o bom é ter o percentil de 90 para cima. Não significa que quem tirar menos que isso, não consegue vaga, mas é mais difícil (e tem de ter um currúculo melhor)

      Excluir
  72. Alo! sou portuguesa, estudo em Lisboa, e também gostava de ter residência médica nos Eua ou no Brasil.
    Em primeiro Lugar, muitos parabens!
    Em segundo lugar, vou explicar a minha situação, falta-me um ano para acabar o curso e gostaria de saber como me posso candidatar aos testes da USMLE. são muito caros os steps 1,2 e 3? que outras burocracias são necessárias? já vi que a minha universidade me permite ir para os EUA, o que preciso mais de fazer?
    quanto ao brasil, qual o meulhor local para tirar a especialidade? estava a pensar em FLORIANOPOLIS, universidade federal de Santa Carina, sabe me dizer se é bom?
    Obrigada!
    Filipa Ribeiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Filipa,

      Para se candidatar, você precisa se registrar na página da ECFMG. Lá eles vão solicitar documentos e algumas assinaturas, com isso em mãos, você estará apta a fazer as provas. Em relação ao valor, quando meu marido fez custava $750 cada prova e a parte prática do step 2 foi $1000. As duas primeiras provas, meu marido fez no Brasil mesmo, mas a prova prática só é feita nos EUA.
      Eu não faço idéia da qualidade dos Programas de residência no Brasil e infelizmente não posso opinar.

      Excluir
  73. Ola Lorna, li seu blog inteiro, sempre tive vontade de viver nos EUA, e via esse sonho cada vez mais distante, nos ultimos dias comecei a pesquisar sobre como validar meu diploma e suas informacoes foram muitissimo animadoras.

    Sou medico, formado em 2005 na UFES, ( Federal do ES ), sou especialista em psiquiatria, tenho uma vida estavel aqui no Brasil, tenho um bom salario, sou casado e tenho um filho de 7 anos.

    Lendo seu blog, vi que existem os steps, e apos estes precisamos nos inscrever para a residencia, meu diploma da UFES e reconhecido nos EUA, mas faltaria e residencia para validar.

    Tenho a intencao de viver nos EUA e Brasil apenas a passeio, nao tenho ilusoes de ficar rico ai, quero apenas viver bem e poder oferecer um lugar melhor para meu filho crescer.

    De uma forma geral, como esta o mercado de trabalho para medicos ai, se existe algum estado melhor, a remuneracao media, posso fazer outra especialidade caso psiquiatria nao seja uma boa opcao ai, enfim caso nao se importe e nao seja incomodo gostaria da sua ajuda em algumas questoes.

    Grande abraco e muito obrigado,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depois de fazer os steps, é necessário aplicar e conseguir entrevistas. Tenha em mente que um estágio aqui também é necessário (http://www.wikihow.com/Do-Postgraduate-Medical-Education-in-the-US). Em relação ao mercado de trabalho, não tenho idéia como anda as coisas aqui. Eu sei que médico não fica sem emprego, ainda mais agora com a Obamacare. Da uma olhadinha nesse linkque você terá mais informações (http://healthcareers.about.com/od/compensationinformation/tp/PhysicianSalaries.htm)

      Excluir
    2. Obrigago Lorna


      Comprei a colecao do Kaplan step 1 2012 na amazon, vc acha um bom material para comecar a estudar?


      Vi que vc tem vontade de voltar, nao volte, gosto do Brasil demais, mas nosso povo estar perdendo os valores, aqui esta sendo cultivada a cultura do " levar vantagem em tudo", da desonestidade, corrupcao sem medidas, sem falar da violencia que cresce a cada dia... nao volte.

      Grande abraco e mais uma vez obrigado.

      Will.

      Excluir
  74. Lorna, tenho lido em varios sites dos programas de residencia a recomendacao de no maximo 3 anos apos a graduacao para a admissao nos programas, tenho hoje quase 8 anos de formado, voce acha que consigo entrar ainda? essa regra vale apenas para os graduados nos EUA?.

    Obrigado novamente.

    Will.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Will, essa política começou faz pouco tempo e alguns Programas aqui nos EUA. Eu acho que você consegue sim, tem muito programa que não leva o fator idade em consideração.

      Excluir
    2. Tenho hoje 32 anos, vou me preparar para o proximo ano. Tenho pesquisado varios hospitais que nao tem ligacao com universidades, em cidades menores, vc acha que seria mais facil entrar nessas residencias? Sera que tambem oferecem uma boa formacao?

      Will.

      Excluir
    3. Bom, hospitais pequenos podem ser bons sim, depende muito do seu objetivo. Vou te dar um exemplo, marido está aplicando para o fellowship e teve que declinar entrevista em uma Ivy league porque a Universidade não oferece o que ele quer para a carreira. Não é porque o hospital é pequeno que é ruim, isso pode significar uma atenção maior por parte dos attendings e um ambiente menos competitivo (eu digo aqui, aquele competição exarcebada comum em grandes centros).

      Excluir
  75. Oi Lorna,
    Gostaria de saber uma coisa,
    estou indo para a Russia para fazer medicina(Kursk), o curso é todo em ingles, voce saberia me informar se é necessário fazer algum tipo de "cursinho" para as provas?

    Vc tem facebbok?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que provas? Se você está falando dos steps, há alguns cursos nos EUA, mas não são necessários. Você pode estudar sozinho mesmo.

      Excluir
  76. Oi Lorna! Os Steps 2 e 3 são da area básica ou são conforme a area pretendida da residencia?(dermatologia, cardiologia etc..)

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os steps cobrem a "área básica", Paula.

      Excluir
  77. Oi Lorna! sou estudante de medicina e tambem tenho muita vontade de fazer residência nos EUA. Gostaria de me comunicar com voce, se ainda for possivel...
    Meu email é: mclaram90@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Meu email está aí em cima, no início da página. :)

      Excluir
  78. • Há alguma restrição quanto a idade? estou no segundo ano com 28, terminarei com 32 anos e penso em fazer residencia ou nos EUA ou Canadá.
    • Vocês sentiram algum tipo de preconceito em relação a nacionalidade da formação?
    • O processo de estudos, testes e entrevistas durou quanto tempo no total?

    Já vou aproveitar e tentar me informar aqui na universidade quanto a estágios...
    Um grande abraço e obrigado desde já

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiz o update de um post, acrescentando suas dúvidas. Vai lá dar uma olhadinha nas 2 últimas questões (http://aventurasnamagiccity.blogspot.com/2013/06/residencia-medica-nos-eua-perguntas.html)
      Quanto ao tempo, depende muito da pessoa. Meu marido ficou de jan-maio/08 no intercâmbio, fez o step 1 em dez/08, se formou em medicina no mesmo mês. Fez o step 2 em mar/09 e a parte prática do step 2 em jun/09. Aplicou para as entrevistas em out/09, passou o m6es de dez/09 nos EUA fazendo as entrevistas. Foi para uma segunda visita na UAB em jan/10 o match saiu em mar/10 e nos mudamos em jun/10. Foi isso. Contando com o intercâmbio, foram 2 anos de processo.

      Excluir
  79. Muito obrigada pelas informações! Ajudaram bastante!

    ResponderExcluir
  80. Oi Lorna

    Parabens pelo blog. Gostaria de fazer algumas perguntas:

    1-Acabo meu R4 em radiologia em 2014 e gosteria de fazer um fellow(R5) nos eua. Vc tem alguma informação de como fazer isso?

    2-Como faço para validar minha residência e título de radiologista para trabalhar como médico radiologista nos eua.

    Grato pela atenção, abraço, Rafael (rlazza83@hotmail.com)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rafael,

      1-O processo para aplicar para o fellow é igual ao processo para aplicar para residência. tem que fazer os steps, eu só não tenho certeza se a experiência nos EUA (consequentemente, as cartas de recomendação) é necessária. Sugiro que você entre nas páginas dos hospitais, na área do fellow que você gosta e veja mais informações.
      2-Para ser radiologista ou qualquer outro especialista aqui, tem de fazer a residência aqui.

      Excluir
  81. Dear Lorna (amazing name!),
    Estou muito feliz por ter encontrado seu blog. Ainda estou no colégio, prestarei vestibular para medicina esse ano. Sei q ainda é cedo, mas já tenho a certeza de que quero fazer residência médica nos EUA. Acredito que, por enquanto, não há muito o que fazer. Talvez o que eu possa ir adiantando é a questão da fluência no inglês.
    Tenho duas curiosidades que, maybe, você possa responder:
    1) Você acompanha o seriado Grey´s Anatomy? Porque eu quero muito saber se a realidade da residência médica nos EUA é, pelo menos, a metade do que é mostrado nesse seriado. (Se você não assiste, ignore essa pergunta)
    2) Já foi questionado aqui se o fato de ser um estrangeiro gera algum tipo de preconceito da parte dos colegas americanos durante a residência, entretanto não encontrei sua resposta para tal pergunta, poderia responder agora?
    xoxo ;D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acompanho GA sim. Bom, aquela parte dos médicos fazerem sexo até com a parede é mentira. Os hospitais aqui tem câmera e esse comportamento é demissão por justa causa. Como americano é todo trabalhado em delatar quem faz coisa errada, com certeza o médico que faz sexo no hospital seria pego logo logo. Como em GA o pessoal é de cirurgia, muita coisa é verdade: mmuitos plantões, a vida passa a ser o hospital. Hoje em dia, tem uma lei que diminuiu a carga horária dos residentes (de 120 para 80hs/semanais), mas se as especialidades de clínicam acabam excedendo essa carga horária, imagina em cirurgia!
      A segunda pergunta eu respondi http://aventurasnamagiccity.blogspot.com/2013/06/residencia-medica-nos-eua-perguntas.html

      Excluir
  82. Boa noite Lorna, td bem? Acompanho seu blog a uns 6 meses, quando comecei a me interessar e acreditar ser possível correr atras de fazer residência nos EUA, ainda tenho planejado como irei fazer, mas já tenho comprado materiais pra começar a estudar, atualmente estou no 5º ano, gostaria de tirar uma duvida com vcs que ja passaram por muita coisa =]
    Como vcs se informaram sobre os bons locais pra fazer residencia ai? Onde vcs conseguiram essas informações? Imagino que tenha diversos serviços de residencia em neurologia ai (eu tenho interesse em cirurgia ortopédica, já vi que tem diversos..), e fico me perguntando como vocês ficaram sabendo se o tal serviço é melhor que o outro, qual é pior, porque, como é a concorrência.. essas coisa.
    Como eu não fiz intercâmbio durante a faculdade (hoje estou no 10º semestre) e provavelmente não farei, to pensando em fazer um observership depois de formado, juntar uma grana e passar uns 3-6 meses la, e juntamente com o observer quero fazer um curso de ingles focado em medicina, só que pra isso ja gostaria de procurar fazer o observer em um serviço que já tenha intenções de tentar a residencia, e tô sem saber como descobrir quais sao as boas residencias e quais não são (ou todas são boas?).. tu sabe me dizer como eu consigo descobrir isso? Ou não vale a pena ter essa preocupação? Conseguindo ser aceito em um serviço já é alegria demais, qualquer que seja o local?
    Outra duvida, com relação às cartas de recomendação, como eu descubro quais locais teriam profissionais cujas as cartas de recomendações teriam bastante peso? que ai já tento fazer o observership nesses locais..
    Desde já grato pela atenção, e parabéns pela iniciativa do blog, tem ajudado gente que ceh nem imagina =]

    saudações soteropolitanas!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Raphael, quando a gente escolheu os hospitais para meu marido aplicar, a gente entrou em todos os sites dos hospitais que tinham neurologia (tem a lista no ERAS), vimos salários, benefícios, a quantidade de residentes internacionais, pesquisamos o custo de vida na cidade etc. Todo ano sai uma lista dos melhores hospitais (USnews) que serviu para a gente se basear também (de qualquer forma, um bom hospital não garante que a área da residência escolhida seja boa). Não sei se todos os programas são bons, depende muito do objetivo profissional de cada pessoa. O programa da neuro da UAB é muito bom, reconhecido no país (quando meu marido foi fazer entrevista do fellow, todo mundo falava da UAB).
      O peso das cartas de recomendação se relaciona com o reconhecimento do profissional. Mas assim, a carta do Dr X de uma universidade, poder ter um peso maior na universidade Y, porque ele já trabalhou lá, por exemplo, que na Universidade Z. É bem complicado isso. Eu não sei como você faz para saber as "melhores" cartas de recomendação. Outra coisa, mais importante que ter um Dr-todo-poderoso escrevendo uma carta é que o médico realmente conheça você e escreva uma carta bem pessoal. E não uma carta padrão...

      Excluir
  83. Massa, mais uma vez muito obrigado pelas dicas Lorna, já vou começar a fazer minhas análises aqui e não esquecerei da dica da carta de referencia, enquanto faço isso continuo estudando e colado em seu blog aqui, abraços, muito obrigado pela ajuda e força!!

    Ahh, aproveitando deixa eu tirar outra dúvida, seu esposo chegou a iniciar residencia aqui no brasil? teria algum benefício (além da experiência na área pretendida, e seria essa experiencia muito relevante?) iniciar residencia aqui no brasil antes de ir? porque dinheiro não é facil pra mim aqui, então tava pretendendo no primeiro ano de formado trabalhar em psf/plantoes pra fazer meu pé de meia pra custear tudo isso que to querendo fazer..

    ResponderExcluir
  84. Raphael,

    O Leo nao fez residencia no Brasil porque ele tinha certeza que queria fazer aqui nos EUA. No entanto, ele fez o mestrado ai (entrou no mestrado e defendeu em 1 ano e 2 meses). Assim, quanto mais coisa voce tiver para colocar no curriculo, melhor, especialmente se seu objetivo eh a area de cirurgia (que eh muito competitiva). Dinheiro tambem nao era facil (ainda nao eh!) pra gente, ele dava plantao, via as aulas no mestrado, dai conseguia pagar as contas do Brasil (aluguel de apt, prestacao de carro etc), financiar as provas, entrevista nos EUA e todo o processo da residencia; alem de juntar dinheiro para trazermos pra ca. Se voce puder acompanhar cirurgiao ai, participar de ambulatorio na area, tudo isso conta no curriculo.

    ResponderExcluir
  85. Ola ! tudo bem? Sou medico formado pela UFMG e gostaria muito de fazer residencia nos EUA . Gostaria muito de agradecer as informacoes que vc colocou tao bem e gostaria de saber se ha possibilidade de mantermos contato pois gostaria tb de saber mais sobre o processo e a vida de medico ai ! Meu mail e matheus.soares@gmail.com Obrigado

    ResponderExcluir
  86. Vitoria, infelizmente eu nao tenho nenhuma informacao na area de veterinaria. O post so diz respeito a medicos nao-veterinarios.

    ResponderExcluir
  87. Lorna, estou no 3º ano de Medicina aqui no Brasil e meu noivo termina já no fim do ano. Tenho muita vontade de fazer Residência nos EUA então nos planejaríamos para ir daqui a uns 4 anos. Seria o tempo que eu me formaria e ele terminaria a residência e poderia fazer um mestrado ou especialização. Fiquei em dúvida em relação a "aplicações". A faculdade precisa realmente estar cadastrada? Posso fazer independente? Existe concorrência maior por especialização como é aqui no Brasil? Faço parte da Liga de Neurologia da minha faculdade e estagio na área de emergência em neurocirurgia em um Hospital de trauma da minha cidade... Gosto muito de Neuro. Pra quais hospitais o seu marido tentou? E como é cultura americana em relação à medicina? É muito diferente? Vocês se adaptaram bem? Você pode ficar nos EUA e exercer depois da residência?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Thaís, se seu namorado planeja ficar aqui e ser médico, ela terá que fazer a residência aqui nos EUA. Caso a faculdade não esteja na lista, você terá que entrar em contato com eles para saber o que precisa fazer. Infelizmente eu não tenho essa informação. Sim, dependendo da área, a concorrência é muito maior, por exemplo, neuro é pouco concorrido enquanto cirurgia é extremamente difícil. Não lembro quais hospitais ele aplicou. Ele entrou nos sites das universidades e ia vendo a descrição do programa e pensando se seria bom para o objetivo profissional dele e dentro da realidade do currículo dele. Não entendi o que você quis dizer sobre a "cultura americana em relação a medicina". Meu marido se adaptou bem a vida de residente aqui. Ele não cogita voltar ao Brasil, eu não me adaptei bem aqui e quero que ele acabe tudo e a gente possa voltar pra casa. Quando termina a residência tem um processo de waiver junto ao governo brasileiro e americano para ficar nos EUA. Mas todo médico estrangeiro que conhecemos, consegue ficar no país já que os EUA precisam muito de médicos treinados.

      Excluir
  88. Lorna , meu nome 'e christiane , faco residência de cirurgia geral aqui no brasil, meu namorado 'e americano,e estou querendo ir para os rua de vez , entao gostaria de saber se posso entrar no programa de plástica direto , ou e necessário entrar no programa de cirurgia ? 'e possível validar as residências aqui do brasil? como vaco para me inscrever para o step 1 ? e necessário fazer o curso da kaplan ou posso comprar o livro e estudar sozinha ? como faco para me inscrever para step 1 ? em que site ? como vejo se a minha faculdade 'e reconhecida ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Christiane, até onde eu sei, você precisa refazer cirurgia aqui. Aqui cirurgia são 5 anos e mais 3 de plástica. Bem diferente do Brasil. Além disto, conhecemos um brasileiro que fez cirurgia no Brasil, mas teve que refazer tudo aqui. Já adiantando que você residencia em cirurgia é muito, muito, muito competitiva e você terá que ter cartas de recomendações excelentes e claro, de professores dos EUA. Não precisa fazer o curso da kaplan, você pode estudar por sua conta mesmo. Meu marido estou sozinho. Em outros posts eu expliquei suas outras questões, basta colocar no marcador residência médica nos EUA que você pode ler os outros posts relacionados. Para fazer o step 1 você precisa se cadastrar na ecfmg.org antes.

      Excluir
  89. Sou cirurgiao plastico no Brasil ha 9 anos,conheço 4 colegas que são medicos nos EUA,para exercer a profissão nos EUA terei que fazer tudo isso que foi dito ou um QI me ajudaria em algo?
    Obrigado.
    Cristiano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, você terá que fazer 5 anos de cirurgia geral e 3 anos de plástica para poder exercer a medicina aqui. Um QI pode ajudar nas cartas de recomendação, mas eu não conheço nenhuma forma de atalho para esse processo.

      Excluir
  90. Obrigado pela resposta,foi esclarecedora e ao mesmo tempo desanimadora,depois de passar 5 anos fazendo residencia e ja exercendo a especialidade ha 9 anos,não me vejo encarando mais 8 anos de residencia,ainda mais ja tendo boa clientela aqui no Brasil,boa sorte a todos os jovens colegas que estão nessa luta.
    Cristiano

    ResponderExcluir
  91. Ei Lorna, caso eu seja reprovado numa primeira tentativa de entrevista tudo bem tentar outras vezes?

    Eu e minha namorada fazemos medicina e pretendemos ir fazer residencia nos EUA. Contudo, precisamos ser aprovados no mesmo local. Seria muito difícil?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se no primeiro ano você não conseguir o match, nada impede que voc6e tente outra vez. Mas, tendo em vista que no primeiro ano você não conseguiu, o próximo ano terá que fazer algo diferente como por exemplo: mais experiência nos EUA, outras cartas de recomendação etc.

      Excluir
  92. Ola achei muito legal sua prontidão e paciência em responder tantas perguntas. Se me permite gostaria de fazer algumas bem simples.

    Vale a pena ser médico nos eua?
    Morando ai é mais facil passar pelos processos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leonardo, bom pro meu marido, vale a pena ser médico aqui. Ele quer trabalhar com novas tecnologias e os EUa é excelente nessa parte. Agora, você precisaria explicar melhor o que significa "valer a pena" pra você. Tem muita coisa ruim aqui, o médico perde pelo menos 30% do seu tempo cuidando de papelada, essa idéia que médico é rico não é verdadeira pra 95% da classe (mas eles vivem bem), a carga horária é enorme (como em qualquer lugar do mundo) etc.
      Bom, é necessário ter experiência nos serviços aqui para conseguir as cartas de recomendação. Fora isso, não precisa estar aqui para passar pelo processo. Meu marido fez o intercâmbio, voltou pro Brasil, fez as provas e veio para os EUA para a prova prática e as entrevistas.

      Excluir
  93. OI LORNA, TUDO OKS?
    SE HOUVER REPROVAÇÃO EM ALGUMA PARTE DOS STEPS, PODE-SE REPETIR O PROCESSO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achei a resposta aqui http://www.usmle.org/bulletin/eligibility/#retakes, no entanto, todas as notas são enviadas para as universidades e como eles vão saber que voc6e não passou de primeira, você ficará menos competitivo. Olha isso aqui http://forums.studentdoctor.net/threads/if-you-fail-step-1-are-you-screwed.883950/

      Excluir
  94. Olá, Lorna,

    Em primeiro lugar, obrigado pela disponibilidade e pelo post excelente.

    Gostaria de tirar uma dúvida que tenho, quanto à dificuldade de fazer o "match" após os steps. Na sua opinião, é a parte mais difícil ou mais fácil? Meu medo é fazer os steps e depois não conseguir ser "matched". Pelo que vi, é a parte mais concorrida, não?

    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, conseguir a vaga é o mais difícil. Existe sempre a chance de não match, na verdade, menos de 50% dos estrangeiros não conseguem a vaga, mas se não tentar, 100% de certeza que não vai conseguir. É uma decisão complicada, tem que pensar muito antes de embarcar nessa :)

      Excluir
  95. oi lorna!

    Não faz idéia de como tem mudado a vida de várias pessoas com informações preciosas! Venho acompanhando seu blog e vejo sua receptividade e disponibilidade em sanar tantas dúvidas... isso é lindo de se ver!!!

    parabéns pelo blog!

    Vou aproveitar agora e tirar algumas dúvidas
    Sou residente de Medicina de Família e estou inicado mestrado em saúde pública, porém no momento também me preparando para iniciar os steps... Vou abrir mão de tudo aqui por caus da violência e nossa polític atual.. Quero que minha filha cresça em um país que valorize o ser humano...Ouvi dizer que pra tentar os steps a faculdade que me graduei precisa estar cadastrada? cadastrada em quê? Sei que a residência aqui no Brasil não conta.. mas e o mestrado, ele ajuda no currículo quando for aplicar praresidência (medicina de família é fácil para entrar? o que é o ERAS, é o mesmo ECFMG? Existe um tempo mínimo ou máximo obrigatório entre um step e outro? Sei que juntando todos são 7 anos como período máximo, não é? após finalizado os steps posso aplicar em qualquer e quantas universidades quiser? ouvi falar que serviços em pequenas cidades são os mais fáceis de conseguir entrar, procede isso? um médico de família dá pra viver bem aí?, após terminar a residenia aí, tenho que fazer o fellow para poder finalmente clinicar? o que é Statement of Need ?

    ufa....
    poxa Lorna sei que foram tantas dúvidas, te agradeço pela sua atenção!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O primeiro passo é saber se a universidade está cadastrada (tem um link no post acima), caso não esteja, você terá que entrar em contato com o ECFMG para saber como proceder.. Não existe tempo máximo nem mínimo entre os steps, mas penso que para ficar competitivo, o melhor é que a distância entre as provas seja menor. Depois de passar nos steps, você pode aplicar para quantas universidades quiser, no entanto, sem experiência em algum serviço americano e cartas de recomendação de médicos daqui, você não consegue a vaga. O médico da família ganha o salário mais baixo da área, no entanto é bem acima da média da família americana, então, vive-se bem. A concorrência depende da reputação da universidade e da área, mas medicina da família não é muito concorrido, sei que as vezes até sobra vaga. Depois da residência não precisa fazer o fellow, já pode clinicar. Statement of need é uma carta assinada pelo ministro da saúde do Brasil dizendo que o Brasil precisa de médico e que o residente vai retornar ao país depois que concluir a residência.

      Excluir
    2. Lorna pessoas como vc são iluminadas! Obrigada por tantas informações!! Parabéns!!!

      Excluir
  96. Lorna , boa noite, td bem? Me formei ano passado e, diferentemente de muitas pessoas, nunca havia pensado em prestar residência fora. No entanto, comecei a amadurecer a idéia e diversas dúvidas vieram à minha mente, como por exemplo: é melhor fazer residência direto nos EUA ou é preferível fazer residência no Brasil e um fellow nos EUA? Se eu fizer residência aí, posso exercer minha especialidade no meu país de origem? As cartas de recomendação dos meu professores daqui valem alguma coisa?
    Obrigada,
    Amanda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda, o caminho a ser escolhido depende dos seus objetivos profissionais. Infelizmente nao sei como ocorre a validacao dos estudos nos EUA no Brasil, mas se voce resolver fazer so o fellow aqui, nao tem muito problema, pois voce ja sera especialista no Brasil.

      Excluir
  97. Olá, Lorna, tudo bem?
    Estou no meu primeiro ano de medicina e estava pesquisando sobre fazer residência nos EUA quando achei o seu blog. Porém, não entendi muito bem como funciona esse processo todo...
    Você poderia me explicar melhor?
    Caso seja mais prático, aqui está o meu email: joaomarcelovreis@hotmail.com

    Obrigado desde já.

    ResponderExcluir
  98. João, eu escrevi alguns posts sobre o assunto, você leu todos? Quanto a sua dúvida, poderia ser mais específico? Não entendi o que você não entendeu.

    ResponderExcluir
  99. Oi Lorna tudo bem!?
    Sou ortopedista aqui no Brasil mas estou pensando em sair fora e os estados unidos me parecem mais organizados nesse processo. O salário de residente dá pra viver na boa?
    outra coisa, não sei se você sabe, mas sera que o USLME vale para o Canadá? pois tenho uma irmã morando em Vancouver!
    Obrigado

    ResponderExcluir
  100. Luiz, eu escrevi um post sobre o salário do residente no blog, procura no descritor "residencia médica nos EUA" que você encontra. Mas adianto que dá para se manter sem os "luxos" que somos acostumados no Brasil.
    Não tenho conhecimento sobre as provas no Canadá, mas imagino que deve ser semelhante já que os títulos na área médica valem de um país para outro, sem precisar de validação nenhuma.

    ResponderExcluir
  101. Oi, Lorna, tudo bem? Estou graduando-me numa universidade estadual, a qual não consta na lista IMED - FAIMER. No entanto, pretendo fazer mestrado numa universidade que está relacionada. Será que há como fazer o processo da residência a partir da universidade do mestrado? Aliás, diferentemente da residência, o mestrado brasileiro é aceito aí? O do seu marido, por exemplo, é reconhecido?
    Desde já agredeço,
    José

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não acho que o mestrado seja reconhecido aqui, pelo menos em outras áreas não é. O curso de medicina é considerado um doutorado aqui...se o nome da universidade não consta na lista, entra em contato com eles.

      Excluir
  102. Olá, tudo bem? Já faço residencia no Brasil e gostaria de fazer meu eletivo nos estados unidos. Você sabe me informar o que devo procurar? Seria um sponsorship? Tem algum outro site sobre isso que você conheça? Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ticiana, acho que primeiro você tem de ver na sua universidade e depois entrar em contato com as universidades americanas. Não tem um órgão específico e cada universidade segue um protocolo diferente.

      Excluir
  103. Oi, Lorna! Adorei seu poste, super esclarecedor! Estou com mil dúvidas mas uma tenho certeza, quero fazer minha residência nos EUA! Você poderia me ajudar!? O TOEFL não seria necessário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para fazer residência médica não precisa do TOEFL, Karina. Eles usam a entrevista e o step 2 para avaliar o inglês dos candidatos.

      Excluir
  104. Lorna, boa noite!
    O seu blog é muito instrutivo, e iluminado pois pelo que percebi esta ajudando muitas pessoas, gostaria de pedir seu auxilio tbem pelo meu filho ele esta em fase de cursinho para vestibular de medicina, porém o sonho dele é estudar e exercer nos Estados Unidos, será que existe o caminho de entrar já em uma universidade americana, mas me preocupo com os vistos, pois me informaram que ele so pode ingressar se for cidadão ou tiver Green card, vc pode me orientar do caminho a fazer para que ele já possa iniciar a medicina ai ?

    Te agradeço de coração pelo auxilio, Fabiana ( mãe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Fabiana, não sei quem te deu essa informação, mas eu acho que está completamente equivocada. Seu filho precisaria aplicar para as universidades e sendo aceito, teria um visto para fazer o curso aqui. No entanto, medicina é pós-graduaçõa nos EUA. Isso significa que ele precisará fazer 4 anos de pre-med e depois 4 anos de medicina. Aqui nos EUA o médico só pode clinicar depois da residência, ou seja, mais pelo menos 3 anos até ele poder clinicar (o tempo de residência depende da área escolhida, se for cirurgia plástica, são 8 anos, neurologia, pelo menos 4 etc). Eu encontrei esse site (http://startmedicine.com/App/coursework.asp) com mais informações. Daí, você teria que entrar em contato com as universidades solicitando mais informações. Aqui eles são bem receptivos.

      Excluir
    2. Vi que vcs estao/estavam na UAB. Vcs gostam de Alabama? Estava pensando em aplicar pra residencia por la. Ja estou com 10 entrevistas mas o nosso 'Dean of Students' fala pra no minimo visitarmos 15 locais.

      Excluir
    3. Eu odiei o Alabama/Birmingham. Tive um experiência horrível e não volto para aquele lugar nem amarrada.
      No entanto, tenho vários amigos brasileiros que tiveram boas experiência, que moram lá e nem pensam em mudar. E também, a residência em neuro da UAB é excelente! Meu marido saiu super preparado. Como a UAB temmuito volume de paciente, meu marido aprendeu procedimentos que não são apreendidos em muitos programas, tanto que quando iniciou o fellow aqui na UF, teve coisa que todo mundo pedia para assistir ele fazendo, pois nunca tinham visto (e que era algo corriqueiro na UAB)

      Excluir
  105. Paga para fazer residência aí?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, você recebe um salário. Eu escrev um post sobre isso, procura lá no descritors residência médica nos EUA que você pode encontrar mais informações sobre o tema.

      Excluir
  106. Olá, Lorna. Parabéns pelo blog. Vc saberia como é a medicina intensiva pelos EUA? Precisa de outra residência ou é acesso direto? O salário de médicos intensivistas é alto? Qualquer médico pode trabalhar em uti, como no Br, ou apenas os intensivistas?
    Obirgado. =)

    ResponderExcluir

O que você acha disso?