Páginas

11/07/2011

Porquê/ Por que (meu Deus!) eu fui casar com um médico

Sei, sei, não foi por falta de aviso, antes mesmo de eu conhecê-lo, uma amiga que é filha de médico disse que ser mulher de médico é muito complicado, tem sempre alguém querendo mostrar uma pereba, tirar uma dúvida sobre a saúde. Fora os plantões, os atrasos porque um paciente ficou doente ou sei lá o quê. Essa amiga disse que jamais casaria com um médico e me alertou bastante. Claro que ela acabou casando com um, pior, um cirurgião geral (que é sinônimo de muitos plantões). Já na faculdade, em uma conversa, um amigo me falou que casar com médico é muito ruim, pois toda a sua vida gira em torno da agenda dele (verdade!). Mas eu né, teimosa, fui lá e casei com um! Agora fico aqui achando ruim ficar sozinha em casa, em pleno domingo (plantão qualquer outro dia eu levo numa boa, mas domingo é muito ruim!). Marido está no hospital cuidando da enxequeca dos outros (estou morrendo com uma enxaqueca chata desde ontem!). Pior, amanhã ele vai chegar mortinho da Silva, depois de 30 horas acordado, zanzando de hospital em hospital (ele é o único neurologista- ou quase isso- de plantão e atende emergência, o hospital do exercíto, o hospital da UAB, o hospital público, faz consultas e faz admissão, tá achando pouco ou quer mais?) e vai dormir all day long. Aí ele liga de tardinha perguntando como estou, eu digo que não muito bem, que a enxaqueca está chata e que ele está longe e ele "sinto muito, meu amor. Sinto muito mesmo por ter plantão hoje, mil desculpas por deixar você aí sozinha e com dor". Aí, eu lembro porquê casei com ele, muito fofo né?

19 comentários:

  1. Ohhhh que fofo Lorna!!!

    Se preocupa que voce nao eh a unica, meu esposo nao eh medico, mas vire e mexe trabalha aos domingos, e eh chato meeeesmo...

    bjinhos

    ResponderExcluir
  2. Oi Lorna,

    Sim acredito que não seja fácil mas o importante é que ele se preocupa contigo mesmo estando super ocupado.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. hahahaahah Lorna, eu cheguei a pensar em fazer medicina, ou melhor, ser uma Physician Assistant. Que tem praticamente a mesma escala de trabalho que um medico. Acabei desistindo por causa disso. Eu nao teria tempo pra passar com meu marido e filhos (quando tivermos). Acabei optando por Nursing, que nao deixa de ser caotico mas a escala eh um pouco mais fixa do que a de um medico. Mas oh, pensa no lado positivo, o dinheiro!!! Tem que ter um lado bom neh? hehe

    ResponderExcluir
  4. Bela, vida terrível essa de dormir sem o marido né?

    Ai Vanessa, é verdade, mas que ficar sozinha em pleno domingo é um porre, ah isso é!

    Nani, graças a Deus meu marido detesta plantão e está estudando para não precisar dar plantão no futuro. E quanto ao dinheiro, todo mundo fala que vai ser bom, mas até agora não vi a cor.

    ResponderExcluir
  5. a profissao de médico é sacrificante mesmo, mas deve dar tb um prazer enorme em ajudar as outras pessoas. ;) bjs!

    ResponderExcluir
  6. Vamos pensar pelo lado positivo porque há um. Ainda bem que vc não casou com um obstetra e nem pediatra porque imagina aí, teu marido acordando de madrugada pra fazer um parto, cancelando a viagem marcada pra ver um bebê doente, etc.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Lorna, enquanto eles fazem residencia eles ganham, mas ganham pouco. Eh quando eles se formar e comecam mesmo a trabalhar que o dinheiro vem. Esquenta nao.

    ResponderExcluir
  8. Amiga dá graças a Deus que você casou! Tem ZILHOES de mulheres que casariam com um pé rapado sem instrução. Quanto mais um médico!
    Eu sou filho de médico e sei "mais ou menos". Já fiquei no carro esperando meu pai por 4 horas na frente do pronto socorro. Tomara que você, pelo menos, fique ryca (kkkkkk brincadeira!)

    ResponderExcluir
  9. Ai Lorna, entendo bem isso viu srsrs Eu sempre comento que ainda estou procurando o glamour de casr com um médico, rsrs ainda não fui apresentada à ele rsrs Eu meio que acostumei com os plantões, não têm como fugir deles né? Perdemos diversas datas comemorativas, já fiquei na casa da sogra pq estava mto mal e ele não estava em casa para cuidar de mim... Enfim, ainda detesto dormir sozinha, mas diria que agora no terceiro ano estou mais acostumada. Além do que a coisa dos plantões dá uma melhorada tbm ;)Hang in there!! Bjuss

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  11. Me identifiquei muito com seu post!!! Se der, visita nossa pág. http://www.facebook.com/pages/Di%C3%A1rio-de-esposa-de-um-plantonista/583256715019973

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  13. Hihi homem fofo é outro nível, né? E casar com médico pode até nem ser o que parece, mas é top. Eu encheria a boca pra dizer: meu marido é MÉÉDICOO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Voce eh maluca! mas ele eh fofo mesmo :)

      Excluir
  14. O que pensar quando o problema se inverte, ou melhor duplica? No meu caso, eu e minha esposa somos médicos, e a problemática fica maior. Por outro lado não temos uma série de problemas como limitação financeira, diferença cultural. O ser humano sempre inventa algo para estar insatisfeito. Acredito que a solução para vc seria ter mais tolerância e gratidão pela vida, sobretudo por ele ser uma pessoa que mesmo cuidado de estranhos, não esquece da mulher dele! Pense nisso. Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, talvez você não tenha lido o post até o final. O seu comentário foi totalmente deslocado do contexto do meu objetivo no post, uma pena!

      Excluir
    2. Eu não li isso. Diferença cultural... Sempre tem um Zé ruela pra estragar o post

      Excluir
  15. Quando eu não tinha filho eu não pensava em nada disso. Hoje seja a profissão que for...Eu penso primeiro no meu filho. O pai dele é advogado sou divorciada e não deixo de trabalhar também, porque um erro que cometi foi ido trabalhar no escritório do meu ex marido, sai com uma mão na frente e outra atrás. Eu sempre trabalhei. Fui emancipada para trabalhar, sempre trabalhei nas melhores empresas e era sempre insatisfeita. Hoje estou refazendo minha vida, não é fácil, mas quero reconquistar o meu. Sei como é quando eles ficam longe. Advogado tb as vezes tem que viajar, acho que ser médico é pior, pq são quase todos os dias. Eu acordava a noite com um vazio, uma tristeza que dinheiro nenhum paga.

    ResponderExcluir

O que você acha disso?