Páginas

25/03/2013

RAL: "Qual a sua profissão? Sempre fala do seu marido mas nunca de você"

Verdade, acabo falando da vida professional do meu marido porque no momento ela é muito mais legal. Bom, no Brasil era psicóloga especialista em neuropsicologia. Eu amava neuropsicologia. Ainda amo, devo dizer. Sério, o cérebro, misturado com a mente, a cognição, a resiliência, as experiências de vida, a família etc dá um caldeirão de coisas interessantes. Sinto tanta falta e dá uma tristeza quando percebo que esqueci das coisas...esqueci dos núcleos do tálamo, dos critérios diagnósticos de um monte de coisas, da aplicação dos testes, das atividades...saudade!

Aqui nos EUA, eu sou pesquisadora assistente (quando eu falo isso para os americanos, eles olham com cara de "inteligente hein?" porque aqui eles sabem muito bem a importância da pesquisa). Eu gosto um pouco de pesquisa, mas é um trabalho absurdo, demorado e no meu caso, com pouco contato com gente. A parte boa é que minha chefe é muito sabida e um amor de pessoa. Ela pede a opinião de todo mundo e passa quanto tempo for necessário explicando as coisas.Trabalho em um projeto brasileiro sobre cessação de tabagismo no SUS do Paraná (e agora o projeto vai expandir para os outros dois estados da região Sul). Vale dizer que o financiamento de 8 anos de projeto é americano. Pois é, os EUA acreditam no nosso projeto, mas também, ele é muito bom :). Como é em saúde pública, tem algumas coisinhas que estão mudando por lá e dá um orgulho em saber que um monte de gente está (ou irá) se beneficiando das coisas que faço por aqui.


Iniciei o mestrado em Saúde Pública aqui na UAB em agosto/12, mas a experiência foi péssima e traumática que resolvi trancar (I took a leave of absence). O curso era ruim, os professores péssimos, os colegas ainda piores, e eu estava mal com tudo (eu nunca chorei tanto na vida!!). Resolvi trancar e pegar umas matérias separadas para definir o que irei fazer no futuro. Estou terminando inglês acadêmico, daqui 2 semanas começo um curso de neurociências, depois um curso de neuropsicologia e outro de Psicologia. Preciso definir o meu objetivo, aprendi na porrada que não adianta fazer qualquer curso (lembrando que aqui no fim do mundo não tem Psicologia). Por enquanto, estou trabalhando e vou aplicar para o Board de Psicologia também, caso consiga, minha idéia é fazer uma especialização (que óbvio não tem aqui no fim do mundo). Ah, também estou tentando vaga em alguns lugares como voluntárias, mas o sistema aqui é bruto.

Abre parênteses
Sim, eu poderia virar dona de casa profissional, mas não é mesmo a minha área. Tenho 0 competência para o negócio (e isso aqui é culpa da minha mãe, que sempre detestou essa coisa de cuidar de casa e acabou reforçando nossos outros pontos- porque não tem coisa mais fora de moda nesse mundo que culpar a mãe, né?), fora que o que me deixa feliz é o oposto dos trabalhos domésticos. E a verdade é que eu acho que já estudei tanto e que sou tão competente que seria um desperdício deixar minha mente fora do mercado de trabalho (juro que não sou metida, mas eu acredito piamente na minha competência e isso provavelmente foi um dos responsáveis por eu não desenvolver uma depressão).
Fecha parentêses
Tá respondido? :)

18 comentários:

  1. Respondidíssimo...
    Só não gostei do jeito que a pergunta foi feita. Mesmo não sendo da minha conta... ;)

    Lorna, sou fã da sua educação (e não estou falando APENAS da educação recebida através de livros, mas da sua ética e classe. Coisa que só quem tem pais que acreditam na gente entende e pode ter.)

    Beijo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não, a pergunta foi bem educada, eu que tive que cortar uma parte para não ficar gigante no título.

      Gostei da parte que me toca. Eu na verdade não acho que seja educação, eu acho que aprendi que as pessoas julgam muito de acordo com suas vivências e não por maldade e tenho tentado manter a calma e a elegência por conta disso.

      Você está certa, Rebeca. Meus pais me deram muito amor e todas as tools para eu me transformar em quem eu quissesse. Estou meio perdida agora, mas vou me achar :)

      Excluir
  2. ADOREI! E concordo plenamente com voce. Gastar tempo e cerebro estudando todo este tempo pra virar dona de casa eh fogo... nada contra ser dona de casa, nao eh isso. Mas mesmo que voce quisesse ser dona de casa, mas podendo fazer algo na area que estudou pra fazer. No meu caso, eu sou boa dona de casa, gosto (mais ou menos) e adoraria poder ser mae, mas tudo isso part-time, haha. Sou daquelas que precisam fazer algo pra manter o cerebro evoluindo senao, nao gosto de ficar empacada!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Faz um manual: como ser uma boa dona de casa na ámerica e não esquece de colocar o capítulo "como treinar seu marido para ser menos bagunceiro" :). Esses dias eu me dei conta que só sei fazer coisas ligadas aos livros, ao estudo, vou tentar focar em alguns hobbies também, quem sabe não descubro outro talento.

      Excluir
    2. Haha, eu ja pensei nisso Lorna, mas eh dificil viu. Quando o marido ajuda eu gosto de ser dona de casa, mas quando o marido atrapalha, o bixo pega. Essa semana virei o bixo porque o bonito reclamou da ordem em que limpo a casa eh mole??????? Quase mandei ir para aquele lugar mas nao fiquei calada neh:
      "toma a merda do aspirador, e ja que voce faz melhor, limpe a casa voce"! Soltei fogo pelas "ventas" como diz o povo na familia do meu pai. O ruim de trabalho de casa eh que nao rende, nunca acaba.

      Quanto a hobbies, tenho "andado" muito pelo Pinterest e visto coisas interessantes pra fazer, meus planos pra este verao sao: aprender a costurar (coisas basicas apenas pra fazer capas de amofadas e cortinas), crochet pra fazer scarves, e fazer quadros pra casa com canvas, fabric ou papel de scrapbook... vamos ver no que vai dar neh, porque sou uma negacao pra trabalhos manuais. Isso porque minha mae, minha avoh e minhas tias todas tem o dom pra essas coisas, eu nasci com os genes do meu pai: "venha a mim" haha.

      Excluir
    3. Ah esqueci de dizer, vim aqui hoje mesmo pra dizer que sonhei com voce esta noite. Nao sei como nem porque. Mas acho que foi pelo fato de Bryan e eu termos cogitado a possibilidade de morar no Canada por um tempo. Aih lembrei do post que voce escreveu sobre sua viagem ao Canada. Lembro no sonho de estar conversando com voce (ao vivo sobre isso). Mas nao lembro de mais nada... hehe
      Beijinho Lorna

      Excluir
    4. Nani, meu marido émuito tranquilo com a minha arrumação. Também, se ele falar algo, com certeza absoluta, ele será o responsável pela atividade. Tem coisa que eu faço questão de fazer, como lavou e passar roupa, as outras coisas, eu detesto, especialmente tudo relacionado a cozinha. Acredita que eu também estou louca para aprender a costurar? Fazer essas coisas simples mesmo, mas agora eu foquei na fotografia e só depois que me sentir mais seguro, parto para descobrir outros hobbies :).

      Que bom que apareci no seu sonho. Falando sério, não sei como seria a vida lá, mas conheço brasileiros que imigraram que posso te passar o contato.

      Excluir
  3. Lorna, ameeei o que vc disse sobre desperdicar seus estudos. Nada contra as donas de casa, mas só vc sabe o quanto vc chegou se esforçou para chegar ond está. Parabéns! E desejo que seus sonhos para sua carreira cresçam ainda mais que todos os seus objetivos sejam alcançados.
    Um beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada querida! No momento eu só desejo descobrir o que quero fazer da vida, depois da decisão, o resto fica fácil :)

      Excluir
  4. O que mais gostei nessa resposta foi voce dizer: acredito piamente na minha inteligencia!!
    os Americanos tem razao, inteligente VIU!!!!
    Por que nao acreditar em si(no que se aprendeu com esforco no seu caso) nao me parece mesmo muito inteligente. mas vocë é, super é!!!!
    bjao Lorna.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E você, como sempre, um poço de gentileza!

      Excluir
  5. Virar dona de casa nao da, ne? Ta certa em continuar na ativa! Pesquisa eh sim um treco muito cansativo, trabalhoso e ate frustrante as vezes, mas eu acho que vale tanto a pena!!! =)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O negócio Luana, é que eu fiz psicologia porque amo o contato com gente e seus sofrimentos e morro de saudade de tudo isso. Vamos ver o que eu vou descidir, né? De uma coisa eu tenho certeza: opções não me faltam!

      Excluir
  6. Oi Lorna!

    Gostei muito de saber mais da sua história! E concordo plenamente quando vc menciona o "desperdício" que seria não utilizar seu conhecimento no mercado de trabalho. Espero que vc encontre rapidinho uma forma de não deixar adormecer estes conhecimentos e ao mesmo tempo aplicá-los na prática.

    Adoraria saber mais sobre o projeto da cessação do tabagismo... é uma luta diária na minha vida :(


    Bjs grandes from Brasil :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cláudia, há um programa no SUS sobre cessação. são quatro sessões com profissionais de saúde baseadas na terapia cognitivo-comportamental com a possibilidade de medicação. Agora iremos colocar os agentes comunitários para trabalhar no caso. Vi no seu blog que você acha que o seu maior defeito é fumar. Olha, tem jeito para isso. É trabalhoso? Muito! É demorado? POde ser. Mas tem jeito...voc6e mora aqui nos EUA ou no Brasil? Em que estado?

      Excluir
    2. Estou morando no Brasil... em breve, quando meu visto sair mudo pra Montana

      Excluir
  7. Oi Lorna! Seu blog me ajudou muito! Sou medica e me especializei em Mastologia. Agora estou nos Eua fazendo o processo de revalidacao para entrar na residencia (de novo). Apesar de me estar no papel do seu marido, como medica, na verdade eu me identifiquei mais com vc e as suas historias, pq vivi muita coisa parecida. Obrigada por compartilhar a sua jornada e indiretamente me dar animo para seguir no meu caminho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo feedback! Espero que a sua jornada seja muito boa aqui

      Excluir

O que você acha disso?