Páginas

13/01/2016

Tranformando duas em uma

Negócio "engraçado" quando você tem filho e as culturas e tradições de cada um dos pais se misturam para formar uma única família. Se aqui em casa, ambos somos brasileiros, ambos baianos e ainda entramos "em choque". Fico imaginando como deve ser com minhas amigas casadas com  gringos.

Se tem uma coisa que me irrita é que para meu marido (não é questão de personalidade aqui e sim de cultura familiar mesmo) tudo tem um jeito certo de se fazer. Não estou dizendo de questões morais e sim coisas simples. Tem um jeito certo de abrir tal coisa, de guardar tal coisa, de pegar tal coisa. Ahhhhh, acho um saco! Na cultura da minha família, existem várias formas de se fazer algo, umas mais fáceis, outras mais difíceis, mas você pode tentar. Na do meu marido, só tem uma.

Se tem uma coisa que irrita meu marido (não é questão de personalidade aqui e sim de cultura familiar mesmo) é que eu faço as coisas sem pensar nos outros. Na minha cabeça, eu estou com um problema, paro, penso numa maneira de resolver e resolvo. Não fico me martirizando nem perdendo meu tempo. Isso é flexibilidade mental, uma das características de pessoas inteligentes (Ha!). Para ele, eu não dou importância, eu tento o caminho mais curto, não sou cuidadosa. Vê isso.

Um exemplo ridículo (para vocês terem ideia da minúcia da coisa), compramos uma airfryer e fomos fazer batata baroa "frita". Eu almocei, ele almoçou e sobrou um pouco. Eu peguei o "quetchichapi", que estava fechado e tentei abrir para tirar o lacre. Tentei, tentei e nada. Dei para ele que também não conseguiu. Minha ideia foi de, sem tirar a tampa, eu faria um furo no lacre e pronto. Marido ficou chateado, diz que quando faço isso, acaba saindo ketchup para tudo que é direção (o que é verdade), que ele acaba se sujando etc, que era para eu esperar ele acabar de comer, que ele abriria o negócio. Se você me conhece sabe que eu não sei esperar, especialmente quando é comida, especialmente quando é algo para ser comido quente e que não presta ser "requentado". Eu olhei para ele e furei o treco mesmo, feliz e contente. Ele me olhou bem chateado. Eu disse simplesmente "quando você terminar, é só abrir o lacre todo", porque né, dessa forma seria bom para mim, que comeria a batata quentinha e para ele, que quando fosse usar o negócio, estaria do "jeito certo". Ele ficou enfurecido por causa disso. Tipo, por causa disso?! Porque simplesmente eu "não fiz do jeito certo".

Estamos juntos faz 11 anos e meio e mesmo assim ainda passamos por esses "problemas". Fico só imaginando como será quando Alice crescer um pouquinho.

11 comentários:

  1. Comedia kkk; eu sou exatamente como seu marido nisso aí, tudo tem o jeito certo de fazer rsrs e esse é sempre o motivo das discussoes com a minha mae(moro apenas com ela).

    ResponderExcluir
  2. 'gente como a gente'. foi o que pensei de vcs ao ler o seu post. isso para não dizer o velho 'acontece nas melhores famílias'.

    ResponderExcluir
  3. Aí está a dor e a delícia de se conviver sob o mesmo teto. Sempre que um amigo ou amiga se casam digo isso, que casamento é muito mais respeito à individualidade do outro que a qualquer outro sentimento. Porque somos únicos, mas podemos aprender uns com os outros. E todo dia a gente aprende. Respeito, flexibilidade, tolerância, paciência e muito, muito amor! Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Achar o meio termo as vezes é complicado, porque né, você passa a vida fazendo de um jeito x, mas tá no pacote do casamento.

      Excluir
  4. Apesar de achar que você está certa, também sou assim, prática haha, tem que tentar entender o lado do marido (que se parece um pouco com o meu que eh americano) porque passou a vida fazendo do jeito dele. Essas coisinhas pequenas irritam mesmo, tem que ceder as vezes, contar até dez, isso vale para os dois lados, claro :)

    ResponderExcluir
  5. Casamento e um exercicio diario de paciencia, compreensao e respeito ao proximo, mas isso acontece com todo mundo, seja da mesma cultura ou não..rsrs.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  6. Oi Lorna, adorei seu blog. Você tem canal no YouTube?? Seria muito legal ver seus vídeos... Um grande abraço

    ResponderExcluir
  7. Angelica Toth Cerqueira18 de janeiro de 2016 18:04

    Olá Lorna, te encontrei no fb e enviei uma msg.. mas como não somos amigas a mensagem deve ter ido para caixa de spam, se puder, verifique depois! AMEI seu blog! XXX

    ResponderExcluir
  8. Hahahaha, não falo nada pq sou igual seu marido, tudo tem um jeito certo de ser feito, aqui é um transtorno quando minha mulher estende a roupa, as coisas ficam fora de ordem, e às vezes eu chego ao cúmulo de tirar tudo e pendurar no varal novamente, já são 17 anos de casados, e faço ideia de como essas coisas devem irritar ela, mas é mais forte que eu, dificílimo de mudar, se não quase impossível, e não sei se o de herdei isso, pq até as gerações conhecidas não existe ninguém tão chato pra essas pequenas coisas como eu, a melhor coisa a fazer é nem dar atenção, pq arranja pano pra manga fácil, e brigas desnecessárias acontecem, deve ser um belo teste de paciência conviver com a gente, abraço.

    ResponderExcluir

O que você acha disso?